Arboviroses

Arboviroses

Arboviroses

Atividade Visita a Imóveis - Rotina / Demanda

Atividade desenvolvida em áreas infestadas e consiste na realização de visitas a todos os imóveis de uma área específica, com periodicidade definida, para uma visita ao imóvel, pesquisa larvária, ações de controle de criadores e orientação pelo responsável pelo imóvel. Esta atividade é dirigida a todos os imóveis da área urbana e aglomerados rurais, sendo excluídos, Pontos Estratégicos (PEs), Imóveis Especiais - (IE) e apartamentos acima do 1º andar de edifícios, exceto aqueles que apresentam as seguintes condições anteriores, segundo avaliação , Mostrar condições favoráveis ​​à proliferação do vetor.

A vistoria do imóvel deve ser Peri e intradomicílio, realizando-se o controle mecânico e orientação quanto ao uso de produtos alternativos, ação educativa e participação ativa do munícipe no combate ao vetor.

 

Controle de Criadouros em área de transmissão

Esta atividade deverá ser realizada em todos os locais de permanência do caso confirmado ou suspeito durante o período de transmissibilidade: residência permanente/ temporária, trabalho e estudo. Deve ser trabalhada uma área de 150m(raio) a partir da quadra de permanência (residência, trabalho ou escola) do caso suspeito.

 

Nebulização com equipamento portátil (NEB)

É uma atividade de campo que consiste na aplicação de inseticida de casa em casa com atomizador portátil (UBV) num raio de 150m, a partir da quadra de permanência (residência, trabalho ou escola) do caso confirmado ou suspeito para eliminação de alados.

A nebulização deve ser realizada imediatamente em seguida ao controle de criadouros (CC), de preferência, 01 a 07 dias após. A área demarcada pode ser ampliada conforme decisão conjunta com a SUCEN ou em Sala de Situação e também as áreas para controle de criadouros em função da notificação de outros suspeitos e da confirmação de mais casos.

Avaliação de Densidade Larvária

Tem como objetivo avaliar os níveis de infestação das áreas do município e identificar os recipientes existentes, pesquisados e positivos que predominam em momentos diferentes na sazonalidade do vetor. Esta avaliação é realizada pelo município numa amostra dos imóveis de cada área urbana, para viabilizar sua execução num curto espaço de tempo, todas as áreas são pesquisadas ao mesmo tempo.

Atividades em imóveis de risco

São imóveis com maior importância na geração e dispersão ativa e passiva de Aedes aegypti.

  1. Pontos Estratégicos (PE)

São imóveis selecionados pela elevada oferta de recipientes em condições de se tornarem criadouros, pela natureza desses recipientes, cujo volume de água que podem acumular favorece a produção de grande número de insetos adultos e pela complexidade que a disposição desses recipientes oferece à execução das medidas de controle propostas., Recomenda-se:  A orientação ao responsável pelo imóvel, sobre os cuidados a serem tomados para evitar a proliferação de vetores e a adoção conjunta de medidas de controle mecânico; Aplicação de controle químico quando necessário;

  1. Imóveis Especiais (IE)

Esses imóveis são selecionados em função do risco que oferecem à disseminação da transmissão, dada a circulação ou permanência de grande número de pessoas.

Ações: Orientação ao responsável pelo imóvel, sobre os cuidados a serem tomados para evitar a proliferação de vetores. Em caso de imóveis de grande complexidade, devem ser formados grupos para adoção das medidas de controle nos períodos compreendidos entre as vistorias (brigadas); A adoção conjunta de medidas de controle mecânico; Aplicação de controle químico quando necessário.

  1. Obras

São imóveis inseridos no espaço urbano, cujas características não permitem classificá-los como PE ou IE, e os diferenciam dos demais imóveis urbanos.