‘Dialogando com o Folclore’ é antecipado para o dia 25
Atualizado em 14/06/2019 - 15:34
Fundação Cultural Cassiano Ricardo
O físico Germano Afonso será o próximo palestrante do projeto Dialogando com o Folclore - Foto: Divulgação

Avelino Israel
Fundação Cultural Cassiano Ricardo

Dando continuidade à programação deste ano do projeto Dialogando com o Folclore, o Museu do Folclore de São José dos Campos antecipou para o próximo dia 25 a realização de mais um encontro (estava previsto para dia 27). Desta vez, o palestrante será o físico Germano B. Afonso, que falará sobre astronomia indígena. A palestra é gratuita e acontece no auditório do Museu Municipal, a partir das 19h30.

As inscrições podem ser feitas por meio do site do Museu do Folclore. As vagas são limitadas e os participantes receberão certificado digital. Depois deste, estão previstos mais dois encontros, nos dias 11 e 25 de julho. A proposta do projeto, neste ano, é mostrar a relação entre a cultura popular, a ciência e a tecnologia, por meio de seis encontros, realizados em maio, junho e julho.

O Dialogando com o Folclore é um projeto desenvolvido anualmente, por meio de cursos e palestras, destinado a um público diverso como estudantes universitários, educadores e interessados. Tem como objetivo gerar reflexão e diálogo acerca de temas importantes ligados aos estudos sobre os saberes populares.

Conhecimento indígena

Germano Afonso apresentará uma parte do conhecimento tradicional indígena sobre astronomia, que pode interagir com o conhecimento científico ocidental, principalmente relacionada com o observatório solar indígena, suas constelações e a influência da Lua sobre os seres vivos.

“Os indígenas do Brasil conectam o céu com a Terra, tal como as posições do sol e de suas constelações, com períodos de chuva, seca, calor e frio. Eles associam as fases da Lua, principalmente com a agricultura, para o controle natural de pragas. A astronomia auxilia na sobrevivência da sociedade e é muito importante na construção do conhecimento indígena, que é fundamentado na observação da natureza”, afirma Germano.

Deste modo, os índios constroem seus calendários locais, que marcam as épocas de trabalho agrícola, marés, floração, frutificação, reproduções de peixes e animais, festivais, aparições de doenças e procedimentos de proteção realizados pelos xamãs. “Para eles, a Terra nada mais é que um reflexo do céu, porque tudo o que acontece no céu também acontece na Terra”, conclui.

Perfil do palestrante

Germano Afonso é físico, graduado pela Universidade Federal do Paraná. Pela mesma instituição, concluiu o mestrado em Ciências Geodésicas. Na França, concluiu o doutorado em Astronomia de Posição e Mecânica Celeste pela Université Pierre et Marie Curie e o pós-doutorado no Observatoire de la Cote d'Azur.

Tem experiência na área de Astronomia, com ênfase em Astronomia de Posição e Mecânica Celeste, atuando principalmente em temas como Astronomia Indígena Brasileira, Popularização da Astronomia, Efeitos das Marés no Sistema Terra-Lua e Modelagem de Forças Não-Gravitacionais em Órbitas de Satélites Artificiais e de Fragmentos de Asteroides Rasantes à Terra.

Em Ponta Porã (PR), Germano aprendeu com os pais a observar as estrelas como os índios. Das constelações indígenas e seus mitos, nasceu o interesse pela astronomia. Passados alguns anos, sob o céu francês, conquistou o doutorado em Astronomia de Posição e Mecânica Celeste. De volta para a sua terra, em Mato Grosso do Sul, Germano lembra da experiência de levar um Observatório Solar Indígena para uma aldeia.

Gestão

O Museu do Folclore foi criado em 1987 pela Fundação Cultural Cassiano Ricardo e, atualmente, é gerido pelo Centro de Estudos da Cultura Popular (CECP), organização da sociedade civil sem fins lucrativos, com sede em São José dos Campos.

 

Museu Municipal de SJC (local das palestras)
Praça Afonso Pena, 29 – Centro
(12) 3921-7587

Museu do Folclore de SJC
Av. Olivo Gomes, 100 – Parque da Cidade – Santana
(12) 3924-7318 – www.museudofolclore.org


MAIS NOTÍCIAS
Fundação Cultural Cassiano Ricardo