Brincadeiras animam intervalo de escola na região oeste
Atualizado em 14/06/2019 - 18:46
A iniciativa vai atender até o mês de dezembro estudantes do 1º ao 5º ano da Emef Profª Sebastiana Cobra, localizada no Jardim das Industrias, região oeste de São José
Toca do coelho, bandeirinha, jogo da velha, queimada, dança da cadeira e quem sou eu, foram algumas das atrações - Foto: PMSJC

Gisele Lopes
Secretaria de Educação e Cidadania

Com intuito de compartilhar momentos de interação e aprendizagem, um grupo de alunos de um colégio particular de São José dos Campos desenvolveu nesta sexta-feira (14), por meio do Projeto Brincadeira de Criança, atividades que embalaram a década de 80. A iniciativa envolveu a interação com 60 alunos do 1º ano da Emef Sebastiana Cobra, no Jardim das Industrias, região oeste de São José.

Toca do coelho, bandeirinha, jogo da velha, queimada, dança da cadeira e quem sou eu, foram algumas das atrações que têm como principal objetivo desenvolver nas crianças habilidades socioemocionais, psicomotoras, intrapessoais, interpessoais, entre outras.

“Devido o avanço da tecnologia, ao longo do tempo, as crianças desenvolveram um maior contato com equipamentos e dispositivos eletrônicos, perdendo a essência da infância, caracterizada por brincadeiras com amigos e colegas, em casa ou na rua. Como o objetivo era desenvolver trabalho voluntário, fiz a proposta de visitar colégios públicos na hora do intervalo e os alunos adoraram a ideia”, explicou Ana Paula Raymundo da Silva, idealizadora da ação.

A iniciativa vai atender até o mês de dezembro estudantes do 1º ao 5º ano da Emef Sebastiana Cobra. Alunos e equipe gestora da instituição de ensino aprovaram o intervalo diferenciado.

“Esse tipo de regaste das brincadeiras já é uma prática da escola. Convidamos pais e avós para interagirem com os alunos. Receber estudantes de outra escola vem para somar nosso projeto e as crianças gostam bastante”, explicou Cristiano Borges, educador físico da escola.

A aluna Alice Santos, de 7 anos, escolheu a brincadeira jogo da velha como favorita. A estudante ainda fez questão de falar que os jogos eletrônicos não entram para a modalidade de favoritos. “Esse tipo de brincadeira é melhor que os jogos eletrônicos”, destacou.

“A brincadeira é assim, a menina escreve dicas no papel e cola na nossa testa. Ela passa algumas pistas e a gente tem que adivinhar que  é”, explicou Mateus Camargo, de 6 anos

A atividade ministrada por alunos do 1º e 2º ano do ensino médio contou ainda com roda de conversa e mensagem de motivação para as crianças por meio de cartões e docinho.

“Por meio do projeto queremos levar alegria para as crianças, distanciá-las da tecnologia por alguns instantes e brincar, tudo isso com nosso coração”, concluiu Clara de Assis.

 


MAIS NOTÍCIAS
Secretaria de Educação e Cidadania