Iniciativa do Asfalto ecológico é referendada por entidade
Atualizado em 29/05/2020 - 17:54
Ecophalt asfalto ecológico na obra da Via Cambuí  29/11/2019
Representante da Ecophat conhece de perto a aplicação do asfalto ecológico na Via Cambuí - Foto: Charles de Moura/PMSJC

Priscila Veiga Vinhas
Secretaria de Urbanismo e Sustentabilidade

Na última sexta-feira (29), representantes da Ecophalt, organização não governamental ligada à promoção do asfalto ecológico, visitou São José dos Campos para ver de perto a aplicação da solução sustentável na maior obra viária do município, a Via Cambuí, que irá conectar as regiões leste, sudeste e centro.

O asfalto-borracha, como está sendo chamado, está sendo aplicado em toda a faixa de rolamento da Via Cambuí com 8,6 quilômetros de extensão. Conforme cálculos da Prefeitura, o asfalto que está sendo aplicado na Via Cambuí corresponde à reciclagem de 16.100 pneus.

A entidade, de Praia Grande, na Baixada Santista, tem sua atuação marcada pela defesa da logística reversa dos pneus inservíveis e na promoção do asfalto ecológico para pavimentação das vias públicas dos municípios, contribuindo com a redução de impactos ambientais e a sustentabilidade.

 “Hoje, é um dia de muita alegria para nós, da Ecophalt, por São José dos Campos ter abraçado esta ideia que é tão importante para o meio ambiente, para a saúde e saneamento das cidades. Nós temos muito orgulho de acolherem essa simples ideia que virou um grande projeto para a cidade. Com certeza, um exemplo a ser seguido por outros municípios”, disse a presidente da Ecophalt, Syllis Flávia Paes Bezerra.

A representante, que também ocupou assento no Conselho Estadual de Meio ambiente entre 2017 e 2019, destacou a importância da logística reversa dos pneus que está tendo o ciclo completo em São José e enalteceu o trabalho do município com os pontos de coleta de pneus disponibilizados para a população nos PEVs. “Vocês estão fazendo um bem para natureza e para a saúde das pessoas, pois pneus são criadouros do mosquito aedes aegypti que é vetor de 4 doenças e quando são queimados são altamente tóxicos e poluentes”, afirmou.

A entidade também vem acompanhando o esforço do município na criação de uma lei municipal que autoriza o uso do asfalto ecológico nas contratações de obras e serviços públicos de asfaltamento, pavimentação e recapeamento. Trata-se da Lei Municipal 9.691, de 9 de abril de 2018. “Isso é uma inovação do ponto de vista administrativo, jurídico e ambiental e vem ao encontro da nossa luta pela criação desta nova rota tecnológica para as cidades, com materiais mais duráveis e sustentáveis. E vocês estão sendo pioneiros nisso”, concluiu Syllis.

A Prefeitura também promove o reaproveitamento de pneus em obras públicas como na construção do Eco-PEV de São Francisco Xavier, que empregou 550 pneus usados para contenção de aterro e construção de uma plataforma elevada.

Outra inovação tecnológica diz respeito ao projeto de saneamento rural sustentável da Prefeitura de São José dos Campos que prevê a instalação de 200 tanques de evapotranspiração e círculo de bananeiras para tratamento do esgoto em propriedades rurais. Nestes equipamentos serão reaproveitados cerca de 6000 pneus usados.

Saúde e Preservação Ambiental

O asfalto ecológico é considerado uma boa alternativa para conciliar o desenvolvimento urbano com a preservação ambiental. Desenvolvido por meio da incorporação da borracha moída de pneus inservíveis ao cimento asfáltico, é um produto classificado como sustentável por contribuir para a redução da utilização de matérias-primas não renováveis.

No meio ambiente, a decomposição do pneu leva cerca de 600 anos. O descarte incorreto traz consequências graves para a sociedade, servindo como criadouro para o mosquito aedes aegypti, ocasionando o entupimento de galerias e redes de esgoto, inundações e a poluição de rios e do solo. Quando vai para aterros sanitários, ocupa um espaço considerável. Se incinerados, tornam-se agentes tóxicos e de poluição atmosférica.

Em São José dos Campos, a Prefeitura promove o recolhimento de pneus nos PEVs (Pontos de Entrega Voluntária) instalados na cidade. Por mês, são recebidos aproximadamente 950 unidades, que periodicamente são recolhidos pela Reciclanip, entidade gestora do sistema de logística reversa de pneus inservíveis, retornando ao processo produtivo. Além de asfalto, a matéria-prima é utilizada na produção de solas de sapato e pisos ecológicos.

Qualidade

Fora o apelo ambiental, o asfalto ecológico apresenta vantagens econômicas, como melhor rendimento, já que a maior densidade permite a redução da espessura em relação ao asfalto tradicional. O desempenho do produto tem como diferenciais maior durabilidade, flexibilidade e resistência.

Vias públicas

O asfalto ecológico já foi empregado nos 300 metros do prolongamento da rua Saigiro Nakamura até a avenida Juscelino Kubitschek, na Vila Industrial, que faz parte do projeto viário da Via Cambuí.

Em 2018 o asfalto ecológico foi aplicado na obra da terceira faixa da Avenida Lineu de Moura, realizada por empreendedores como contrapartida viária.

O asfalto ecológico também será aplicado na pavimentação da ponte estaiada, cuja obra está em ritmo acelerado.


MAIS NOTÍCIAS
Secretaria de Urbanismo e Sustentabilidade