São José tem menores taxas de homicídios e roubos em 18 anos
Atualizado em 27/08/2019 - 16:05
OPERACAO INTEGRADA FORCAS DE SEGURANCA - 11-04-2019 - LUCAS CABRAL
Policiais e guardas preparados para mais uma ação conjunta: com o São José Unida, as taxas de criminalidade despencaram - Foto: Lucas Cabral/PMSJC

Cláudio Souza
Secretaria de Proteção ao Cidadão

Com o programa São José Unida, liderado pela Prefeitura, São José dos Campos registrou nos sete primeiros meses deste ano as menores taxas de homicídios e roubos em comparação ao mesmo período dos últimos 18 anos, considerando os dados desde o início da série histórica, em 2002.

A Prefeitura implantou em 2017 o projeto, que reúne as forças de segurança e tem contribuído para a prevenção e redução constante dos índices de criminalidade no município. Também estão sendo ampliados os investimentos e ações em segurança pública.

De acordo com os dados divulgados nesta sexta-feira (23) pela Secretaria de Estado da Segurança Pública, de janeiro a julho ocorreram 26 assassinatos.

Outro dado significativo é que não foram registrados latrocínios (roubos seguidos de morte) neste ano. É a primeira vez que isto acontece desde 2002. Em 2018, nos sete primeiros meses foram 5.

Em relação aos roubos, foram 1.341 casos entre janeiro e julho de 2019.

Homicídios

O São José Unida tem feito diferença na prevenção de homicídios. Nos três anos desde que o programa está em ação, as taxas dos sete primeiros meses ficaram entre as menores da história: 26 em 2019, 33 em 2018 e 30 em 2017. Desde 2002, somente em 2010 houve resultado semelhante, com 32 assassinatos.

Na comparação com o período de janeiro a julho de de 2018 e 2017, a redução foi significativa neste ano --queda de 21% em relação a 2018 e de 13% quanto a 2017.

Na comparação com 2016, ano anterior à implantação do programa São José Unida, o decréscimo é ainda mais acentuado e expressivo, de 42%. Naquele ano, o número de homicídios foi quase o dobro --no caso, 45.

Quanto às 138 mortes de 2003, quando houve a maior taxa da série histórica, a queda é mais vertiginosa, de 81%. Se comparada com a média dos 18 anos, de 54 assassinatos, os 26 registros dos sete primeiros meses deste ano representam uma redução de 51%.

Roubos

Os índices de roubos também despencaram em 2019.

Na comparação com as 1.748 ocorrências de 2018, os 1.341 assaltos significam um decréscimo de 23%. Quanto aos 1.969 casos de 2017, a queda foi ainda mais acentuada, de 31%.

Em relação a 2016, o número de roubos caiu quase pela metade. Naquele ano, foram registrados 2.445 --redução de 45%.

Se comparada com a média dos últimos 17 anos (em 2003 a Secretaria de Estado da Segurança Pública não disponibilizou as estatísticas deste crime), de 1.927 assaltos, os 1.341 representam um decréscimo de 30%.

Outro dado significativo é que nos sete primeiros meses de 2019 não foi registrado nenhum roubo a banco.

Assaltos + furtos

Os índices de roubos e furtos, somados, também são os menores dos últimos 18 anos e têm melhorado progressivamente com o São José Unida.

Foram 4.461 em 2019 contra 4.800 em 2018 (queda de 7%) e 5.595 em 2017 (redução de 20%).

Na comparação com 2016, quando não existia o programa e foram registrados 6.067, o decréscimo foi ainda mais vertiginoso, de 26%.

Em relação à média dos últimos 17 anos (excluído 2003 por não ter estatísticas de roubos), de 5.038, a redução foi de 11%

Combate ao crime

Sob a liderança da Administração, participam do programa São José Unida a Guarda Civil Municipal, Polícia Militar, Polícia Civil, Polícia Técnico-Científica, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Rodoviária Estadual, Polícia Federal, Polícia Ambiental, Corpo de Bombeiros e Detran-SP.

Constantemente, todas estas forças de segurança realizam Operações Integradas de 24 horas consecutivas no combate ao crime. Somente neste ano foram cinco ações conjuntas, sendo que a última foi concluída na manhã deste sábado (24).

Iluminação de LED

Também vem sendo ampliados os investimentos e ações em segurança pública. Além de apoiar as forças policiais e de manutenção da lei e da ordem, a Prefeitura continua a promover ações e realizar obras que garantem mais segurança para a população.

O governo está investindo R$ 32 milhões no Projeto Iluminar, que vai atingir toda a iluminação pública urbana do município. A previsão é de substituir em torno de 56 mil luminárias por lâmpadas de LED até o final de 2020.

Em oito meses, já foram trocadas mais de 22 mil. A gestão do Projeto Iluminar é realizada pela Secretaria de Manutenção da Cidade e executada pela Urbam (Urbanizadora Municipal S/A).

Além de reduzir gastos do município com o consumo de energia, a implantação de lâmpadas de LED contribui para a segurança dos moradores em razão da melhoria da iluminação das ruas, já que são mais modernas, potentes e econômicas.

Também já foi implantado pela atual Administração o sistema eletrônico de monitoramento de veículos. Com tecnologia de fotossensores, permite a obtenção de informações instantâneas sobre os veículos que passam pelos portais de segurança instalados em vários pontos de entrada e saída da cidade.

Parcerias e melhorias

A Prefeitura retomou ainda Atividade Delegada e investirá R$ 3,5 milhões na construção do novo Copom (Centro de Operações da Polícia Militar). Nos dois casos, os trabalhos são executados em parceria com a Polícia Militar.

A Guarda Civil Municipal ganhou 70 novos profissionais --outros 30 serão convocados até o mês que vem--, além de carros elétricos, novas motos, tablets, novos fardamentos e equipamentos e um moderno Centro de Treinamento Esportivo, onde treinam servidores de diversas secretarias.

Câmeras

Outro avanço significativo será no monitoramento, o que contribuirá ainda mais para a queda dos índices de criminalidade em São José.

A Prefeitura realizou no último dia 16 concorrência para o projeto de solução de Cidade Inteligente (SCaaS – Smart City as a Service), com 1.000 câmeras de monitoramento por toda a cidade, interligação semafórica, antenas de wi-fi com internet gratuita à população e a criação de um CSI (Centro de Segurança Integrada).

Onze concorrentes participaram do certame. Foram oito consórcios -- que reúnem mais de 20 empresas -- além de três empresas individuais.

A documentação apresentada pelas participantes passará por análise técnica da Prefeitura. A previsão é de que os novos serviços sejam implantados no prazo máximo de 9 meses após a contratação.

O novo projeto representa um avanço no apoio à segurança pública e propiciará mais conectividade para melhorar a vida das pessoas.

As novas câmeras irão produzir imagens em full HD, sendo algumas delas com visão geral panorâmica.

Atualmente, a cidade possui 493 câmeras de vigilância, que serão substituídas pelas novas câmeras e permitirão que o sistema de monitoramento chegue aos extremos da cidade e a bairros distantes da região central.

As imagens contemplarão o serviço de inteligência que possibilitará ainda o reconhecimento facial e leitura de placas de veículos. As imagens serão salvas com data, hora e local, possibilitando registrar ocorrências em tempo real.

A ferramenta também permite detectar estacionamento ilegal e observar a concentração de pessoas dentro de um grande evento para melhor planejar a segurança de todos.

Índices (janeiro a julho)

Homicídios

2019: 26

2018: 33

2017: 30

2016: 45

 

Roubos

2019: 1.341

2018: 1.748

2017: 1.969

2016: 2.445

 

Assaltos + furtos

2019: 4.461

2018: 4.800

2017: 5.595

2016: 6.067

 


MAIS NOTÍCIAS
Secretaria de Proteção ao Cidadão