Prefeitura lança 2ª fase do 'Viver a Melhor Idade sem Traumas'
Atualizado em 14/08/2019 - 18:22
Viver a melhor idade sem trauma
O programa "Viver a Melhor Idade sem Traumas" inicia a segunda fase: prevenção a queda de idosos chega às UBSs - Foto: Beto Faria/PMSJC

Nei José Sant'Anna
Secretaria de Saúde

A Prefeitura de São José dos Campos inicia nesta quinta-feira (15) a segunda fase do programa “Viver a Melhor Idade sem Traumas”, lançado em outubro de 2017. Um grupo de 30 idosos, todos usuários da Unidade Básica de Saúde do Bosque dos Eucaliptos, é o primeiro a participar do Projeto de Prevenção de Quedas em Idosos, que será desenvolvido por um período de 6 meses.

O projeto elaborado pela Secretaria de Saúde, com apoio da Secretaria de Esporte e Qualidade de Vida, surgiu da necessidade de se realizar um trabalho de prevenção para evitar ou minimizar as consequências das quedas que interferem na qualidade de vida dos idosos e seus familiares.

A região escolhida foi a de abrangência da UBS Bosque dos Eucaliptos, tendo em vista que o bairro reúne a maior concentração de idosos da cidade. Além disso, um levantamento realizado pelo Hospital Municipal apontou que a região concentra a maior incidência de quedas na faixa etária acima de 60 anos.

Etapas do projeto

O projeto foi dividido em 4 etapas. Na primeira, que aconteceu entre os meses de junho e julho, foi feita a captação das pessoas com idade acima de 60 anos junto aos grupos educativos e terapêuticos desenvolvidos na UBS.

A segunda fase, que começa nesta quinta, a partir das 8h, prevê a aplicação do teste de avaliação do risco de queda denominado “Timed Up and Go Test” (TUGT), que avalia a mobilidade funcional do idoso, cujo desempenho está relacionado com o equilíbrio, marcha e capacidade funcional, podendo indicar seu grau de fragilidade.

O procedimento inclui solicitar ao idoso que se levante sem apoio, caminhe e retorne ao local de origem, sentando-se novamente. Deverá ser avaliado o tempo de percurso e as condições em que o idoso realiza o trajeto. O teste será aplicado por uma equipe multiprofissional da Secretaria de Saúde, formada por médico, fisioterapeuta, terapeuta ocupacional e educador físico.

Também está prevista, no dia 29 de agosto, uma palestra com orientação em grupo dos cuidados nutricionais para uma dieta visando à prevenção de quedas em idosos.

A etapa 3 do projeto envolvendo esses 30 idosos terá duração de 6 meses. Durante este período, serão realizadas atividades físicas com orientação e acompanhamento de um educador físico, que irá trabalhar os exercícios que minimizam a propensão de quedas. Entre eles, os que que melhoram a força muscular dos membros inferiores, os de propriocepção, os que trabalham o equilíbrio, a mobilidade postural, a marcha e a amplitude articular dos membros inferiores. Essas atividades acontecerão na UBS, duas vezes por semana, com uma hora de duração.

Ao final deste período, começa a etapa 4, que é a reaplicação do teste Timed Up and Go Test (TUGT) nos idosos participantes do projeto, comparando os resultados com os obtidos na etapa 2.  

Extensão do projeto

O objetivo da Secretaria de Saúde é levar o projeto para outras unidades básicas do município. A próxima será a UBS do Campo dos Alemães, a partir de setembro, quando começa a seleção dos idosos que participarão do projeto.

A meta é criar na população a conscientização sobre as situações de risco e incentivar a importância da prática de atividade física, evitando quedas em idosos e a redução das graves consequências, como dependência nas atividades de vida diária, fraturas e internações.

O projeto tem participação das secretarias de Apoio Social ao Cidadão, Mobilidade Urbana e Educação e Cidadania.

Sobre os idosos

A expectativa de vida ao nascer em 2016 alcançou a média de 75,72 anos. Segundo o IBGE (2015), 29 milhões de brasileiros têm 60 anos ou mais, o que equivale a 14,3% da população total. Em 2030, o número de idosos superará o de crianças e adolescentes de 0 a 14 anos em cerca de 2,28 milhões. Em 2050, a população idosa representará cerca de 30% da população brasileira, enquanto as crianças, 14%.

Aproximadamente 30% das pessoas com mais de 65 anos de idade caem pelo menos uma vez por ano. Depois dos 80 anos de idade, essa porcentagem pode chegar a 50%, Entre as consequências das quedas, a fratura no fêmur é uma das mais graves. O rompimento deste, que é o maior osso do corpo humano, tem grandes chances de impactar na qualidade de vida dos idosos.

A queda é a principal causa de morte acidental entre os idosos e considerado um problema de saúde pública. Por isso, a prevenção é importante no sentido de minimizar problemas secundários decorrente de quedas.

 


MAIS NOTÍCIAS
Secretaria de Saúde