Prefeitura inicia análise de árvores na região central de São José
Atualizado em 05/04/2019 - 17:25
Vistoria das Árvores na Rua José de Alencar 03 04 2019
Tecnologia auxilia na análise das árvores situadas em vias públicas da cidade - Foto: Charles de Moura/PMSJC

Priscila Veiga Vinhas
Secretaria de Urbanismo e Sustentabilidade

A Prefeitura de São José dos Campos, por meio do Programa Saúde das Árvores, iniciou nesta semana a análise das árvores situadas na rua José de Alencar, em frente ao Paço Municipal, região central da cidade.

O objetivo é verificar o estado fitossanitário dessas árvores e planejar ações de manejo e tratamento preventivo.

O trabalho está sendo efetuado por especialistas da PD Instrumentos, empresa contratada pela Prefeitura para empregar aparelhos de última geração, como tomógrafo e penetógrafo, complementando o trabalho de análise e elaboração de laudos técnicos efetuados pelos engenheiros agrônomos. 

Conforme explicou a bióloga Tânia Castroviejo, a análise começa de forma visual, verificando a cor do tronco, diâmetro, cor das folhas, flores, frutos, altura e galhos das árvores.

Em seguida, é feita a verificação com instrumentos base (martelo e vergalhão de ferro) para consultar a raiz e verificar a ocorrência de cupins.

Se nessa etapa houver algum fator que cause dúvidas, é utilizado o penetógrafo (aparelho com uma agulha) que verifica a área interna do tronco e detecta defeitos internos. O aparelho de ultrassom é o último recurso utilizado para confirmar a avaliação da árvore.

O aparelho de tomógrafo é composto por sensores que são instalados ao redor do caule da espécie. Cada sensor é estimulado através de batidas e então é gerada uma onda sonora que percorre o interior da árvore, cruzando com as informações dos outros sensores. Assim é gerada uma imagem 3D.

Nesta imagem é possível identificar se há cavidades no tecido (locais onde o som não percorreu) e assim decidir o melhor tratamento para a espécie. O processo de análise de uma árvore leva em torno de 2 horas.

Segundo a Secretaria de Urbanismo e Sustentabilidade, que coordena os trabalhos, é importante efetuar a análise das árvores em uma via com tráfico intenso de pedestres e motoristas, como a rua José de Alencar, visando a segurança das pessoas.

Essas tecnologias oferecem maior precisão na confirmação do risco de queda de uma árvore.

O cronograma de avaliação percorrerá os principais corredores da cidade, além de complementar o diagnóstico de espécies pontuais em todo o município.  

Programa Saúde das Árvores

A Prefeitura iniciou as vistorias preventivas com esses aparelhos em junho de 2018, começando pelas árvores protegidas e localizadas em pontos de grande circulação de pessoas, como nos parques públicos, e chegou a 170 indivíduos arbóreos analisados.

O resultado das análises indica as ações de manejo necessárias, tais como poda de alívio de peso da copa, remoção de galhos secos, ou até mesmo supressão com posterior plantio de outra árvore.

Paralelamente, está sendo realizada a seleção de uma Organização da Sociedade Civil para a realização de um pacote de serviços de administração e gestão do patrimônio arbóreo público do município. Este contrato permitirá a aceleração de 12 mil laudos de análise de árvores, bem como o inventário e cadastramento de árvores situadas em vias públicas.

Em outra frente de trabalho, a Prefeitura efetuou recentemente a contratação do Software Arbio2, solução da tecnologia da informação para o processamento e gestão de dados da arborização urbana.  O software é desenvolvido pelo IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas), instituição com 20 anos de know how em diagnóstico e análise de risco de queda de árvores. O sistema vai operar nas plataformas Inventário, Planejamento, Registro de Queda de Árvores e Mapeamento das Árvores do Município.

O conjunto de soluções que estão sendo adotadas pelo município buscar gerar uma base de dados sólida para as atividades de planejamento e gerenciamento do patrimônio arbóreo municipal, conferindo maior agilidade ao atendimento das solicitações dos munícipes e a redução dos riscos de incidentes que envolvam quedas de árvores.

São José dos Campos possui um patrimônio arbóreo de mais de 170 mil árvores em vias públicas, parques e áreas verdes no perímetro urbano. Só em calçadas são mais de 80 mil.


MAIS NOTÍCIAS
Secretaria de Urbanismo e Sustentabilidade