Oficinas de música do Arte nos Bairros têm mais de 800 alunos
Atualizado em 05/04/2019 - 17:16
Fundação Cultural Cassiano Ricardo
Encerramento do ano passado da oficina de violão na Casa de Cultura Cine Santana - Foto: Divulgação/FCCR - Foto: Divulgação

Avelino Israel
Fundação Cultural Cassiano Ricardo

Das 250 oficinas culturais do programa Arte nos Bairros, oferecidas pela Fundação Cultural Cassiano Ricardo para este ano, 139 já estão em andamento nas 10 casas de cultura da instituição. As aulas das outras 111 começam na segunda-feira (8). Mais de 6.000 pessoas se inscreveram para participar do programa e o número de participantes está sendo atualizado.

Todas essas oficinas estão agrupadas em 14 diferentes áreas culturais. Entre as mais procuradas, tanto pelo público adulto como infantil, está a área de música, que neste ano conta com aproximadamente 820 alunos. São 56 turmas em modalidades como violão, viola, acordeom e outras.

Entre esses alunos, está o pesquisador Francisco Gilney, 36 anos, que participa pelo terceiro ano consecutivo da oficina de violão, na Casa de Cultura Cine Santana. Este ano ele também resolveu se aventurar pelo acordeom, que já era algo que queria, mas os horários não batiam. “Minha família gosta muito de música, até brincamos que ‘quem não toca, canta’, então cresci envolvido por esse mundo”, explica Francisco. 

“Me mudei do Ceará para São José em 2012 e conheci a Fundação Cultural, mas só fui começar a fazer aulas em 2017 e não pretendo mais parar”, conta ele. “A música é muito importante, principalmente para as crianças, ajuda na interação delas com outras pessoas e é como uma terapia para os adultos, revigora a gente depois de um dia de trabalho. Meu filho tem 6 anos e pretendo inseri-lo nesse mundo também”, finaliza o pesquisador. 

A autônoma Renata Oliveira, de 29 anos, também participa da oficina de violão pelo segundo ano e quando era criança fazia a mesma aula. “Eu senti que agora tenho uma facilidade muito maior de aprender, talvez por já ter um conhecimento prévio, mas estou gostando bastante”, explica Renata. “É algo que recomendo para todos que têm oportunidade”, finaliza. 

Experiência

Com 26 anos de existência, milhares de alunos já passaram pelo programa Arte nos Bairros e alguns acabam retornando, mas de outra maneira. Como é o caso do ex-aluno Ricardo Moreira, que fez parte da primeira turma de viola da Casa de Cultura Júlio Neme, no distrito de São Francisco Xavier. Desde 2002 ele é instrutor da modalidade no mesmo espaço.

“Eu brinco que sou ‘cria da Fundação’ porque aprendi a tocar viola aqui, depois que terminei dei oficina de catira e cheguei na viola”, explica ele. “Espero que os meus alunos se interessem por dar aula também, mas o importante é que eles gostem do que estão fazendo, pois além de aprenderem também podem trocar ideias e experiências”, destaca Ricardo.

As oficinas de violão na Casa de Cultura Chico Triste, na Vila Tesouro, são comandadas pelo instrutor Alessandro Zamah, que já faz parte do programa há 13 anos. Segundo ele, o programa Artes nos bairros é excelente e deve continuar sendo valorizado, abrindo espaço para que a população tenha acesso a todas as linguagens da arte, não só a música.

“Muitos chegam com medo por não saberem tocar nada, mas a gente vai ensinando e eles pegam o jeito”, explica o instrutor. “As oficinas culturais são importantes para todos, inclusive para as pessoas de mais idade, pois oferece oportunidade delas se socializarem e se manterem ativos, além de ajudar na autoestima, na memória e na concentração”, finaliza.

O programa

Criado em 1993, o programa Arte nos Bairros possibilita o acesso do cidadão joseense ao exercício da arte. O objetivo é descentralizar a arte e a cultura, estendendo as atividades ligadas aos bairros e distritos em diversas regiões de São José dos Campos, por meio das casas de cultura e entidades parceiras.


Fundação Cultural Cassiano Ricardo
Av. Olivo Gomes, 100 – Parque da Cidade – Santana
(12) 3924-7300


MAIS NOTÍCIAS
Fundação Cultural Cassiano Ricardo