Hospital do Ursinho aproxima crianças do ambiente hospitalar
Atualizado em 29/04/2019 - 09:11
Projeto Ursinho na Emef Lúcia Pereira Rodrigues  12 04 2019
Hospital do Ursinho envolve quase 200 crianças de 5 e 6 anos da escola Lúcia Pereira Rodrigues, no Putim - Foto: Charles de Moura/PMSJC

Nei José Sant' Anna
Secretaria de Saúde

Alunos de medicina da Faculdade Humanitas, de São José dos Campos, implantaram um projeto inédito na cidade, com apoio da Prefeitura: o Hospital do Ursinho, que se baseia em uma atividade lúdica para desenvolver e estabelecer uma relação agradável entre médico e paciente.

O alvo são crianças de 5 e 6 anos da EMEF Profª Lúcia Pereira Rodrigues, localizada nas proximidades da faculdade e da Unidade Básica de Saúde do Putim, onde parte dos alunos realiza seu estágio.

O Hospital do Ursinho foi criado com o intuito de contribuir para que as crianças eliminem o estigma de ‘vilões’ dos médicos e entendam que estes profissionais almejam o melhor para sua saúde, buscando auxiliar no processo de cura e tratamento.

O projeto é coordenado pelos alunos Rodolfo Fossa, Carolina Rodrigues e Luna Diniz, que cursam o 4º período do curso de medicina. Os encontros acontecem semanalmente ou a cada 15 dias, dependendo da agenda dos alunos. Até o momento já foram realizados 6 encontros na escola e 190 crianças estão envolvidas com as atividades.

“Esperamos que as crianças percam o medo do médico, do ambiente hospitalar e dos demais profissionais da área da saúde”, disse Fossa.

Ambiente lúdico

O Hospital do Ursinho promove um ambiente interativo e de maior confiança e descontração em meio à rotina escolar. Consequentemente, desenvolve a humanização dos estudantes, a partir do contato direto com a realidade das crianças, além de incentivar o engajamento em causas sociais e projetos.

Em uma campanha realizada dentro da própria faculdade, os alunos conseguiram adquirir 40 ursos de pelúcia, que são utilizados durante a dinâmica.

O cenário é dividido em sala de espera, consultório, sala de exames, sala de procedimentos e farmácia. Esses espaços possibilitam a realização de atividades como anamnese e exame físico; exames de imagem; procedimentos não invasivos (como curativos); simulação de vacinação e recreação relacionada à promoção de saúde.

Durante a ‘consulta’, a criança é exposta às diversas situações hospitalares com os ursinhos de pelúcia. Ela se depara com ocorrências semelhantes em sua vida, refletindo seus medos e inseguranças.

“Através dos ursinhos de pelúcia elas poderão compreender a importância das consultas e dos procedimentos que serão realizados neles”, completou Fossa.

“Também conseguimos identificar possíveis problemas que as crianças estejam enfrentando, pois de alguma forma elas podem refletir situações próprias por meio dos ursinhos. Neste caso, a direção da escola é comunicada”, completou Carolina Rodrigues.

A primeira etapa termina em maio e o grupo de estudantes já está articulando outras ações para o segundo semestre, incluindo novas escolas e um número maior de alunos. “Retomamos em agosto, com mais novidades no projeto”, disse Carolina.

Segundo os estudantes, considerando que as crianças são excelentes replicadoras de informações, esse projeto também visa envolver as suas famílias.

O projeto foi criado em 2003 pela Federação Internacional de Associações de Estudantes de Medicina da Humanitas e implantado em São José dos Campos por iniciativa dos alunos do 4º período, que já atuam dentro das unidades básicas de saúde e outros ambientes hospitalares da rede pública e privada. “Queremos deixar um legado para a cidade”, concluiu Rodolfo.

 


MAIS NOTÍCIAS
Secretaria de Saúde