Voleibol adaptado reúne histórias de amizade e superação
Atualizado em 13/04/2019 - 21:12
Superliga de Voleibol Adaptado no Centro Esportivo Casa do Jovem.Foto: Claudio Vieira/PMSJC. 13-04-2019
Atletas com mais de 70 anos qu representam São José na Superliga de Voleibol Adaptado comemoram mais uma vitória: além de craques, elas são um exemplo de vida e de superação - Foto: Claudio Vieira/PMSJC

Cláudio Souza
Secretaria de Esporte e Qualidade de Vida

Adaptação. Superação. Inclusão. Autoestima elevada. Amizades. Encontros. Vitórias. Histórias que só uma cidade de oportunidades como São José dos Campos é capaz de proporcionar.

Nem a idade, nem as dores e muito menos os adversários são capazes de parar os atletas do Voleibol Adaptado do munícipio, sejam eles da equipe feminina ou da masculina.
Neste sábado (13), mais uma vez os jogadores e jogadoras joseenses, tenham eles 47 ou mais de 70 anos, mostraram seu valor e conquistaram vitórias para a cidade na segunda rodada da fase de classificação da Superliga de Voleibol Adaptado.

Grande família

Entre os destaques da equipe feminina com atletas de mais de 70 anos estão a chilena Carmem Estela, 78 anos, e a descendente de japoneses Yumiko Sokabe, 73 anos.
Carmem mora em São José há apenas 2 meses, mas já tem duas paixões: a cidade e a equipe que passou a integra tão logo chegou por aqui.

"Jogo voleibol adaptado há 13 anos, mas sou atleta desde criança. Assim que vim morar em São José e soube que havia uma equipe com jogadoras de mais de 70 anos, não tive dúvidas e me juntei a elas. Hoje somos uma grande família e um grande time. Todo jogo é uma festa. Estou muito feliz", afirmou a chilena, com a jovialidade de seus 78 anos.

"O voleibol adaptado é muito bom para nossa saúde. É um projeto fantástico da Prefeitura de São José, que nos ajuda muito, principalmente a fazer grandes amizades", disse Yumiko, que representa São José na modalidade há mais de 20 anos.

Tanta dedicação é reconhecida pelas colegas de time. Enquanto dava entrevista, as companheiras atestaram: nem as dores são capazes de parar a japonesa, como ela é conhecida.

Segundo as amigas, ela já defendeu o time joseense mesmo com limitações físicas.
Com histórias e personagens como estas, o que menos importa é o resultado esportivo. Mas, além das lições de vida, São José está muito bem representada para seguir adiante com vitórias e conquistas na Superliga de Voleibol Adaptado.

Competição acirrada

A Superliga é uma realização da CBVA (Confederação Brasileira de Voleibol Adaptado). Até outubro, acontece a fase regional, sediada pela Prefeitura de São José dos Campos, por meio da Secretaria de Esporte e Qualidade de Vida.

Nesta fase de classificação, participam 12 cidades do Vale do Paraíba e Litoral Norte, representadas por 44 equipes masculinas e femininas. Após esta etapa, as melhores equipes se classificam para as fases estadual e nacional.

Os atletas de São José dos Campos estão divididos em cinco categorias: 47+ feminino (48 a 59 anos); 59+ feminino (60 a 69 anos); 69+ feminino (70 anos em diante); 59+ masculino (60 a 69 anos); e 69+ masculino (70 anos em diante).


MAIS NOTÍCIAS
Secretaria de Esporte e Qualidade de Vida