Alunos da rede municipal simulam atividades nos moldes da ONU
Atualizado em 13/09/2018 - 20:21
Projeto Simulação de Atividades nos moldes da ONU  13 09 2018
Vestidos com traje formal, os estudantes do ensino fundamentl assumiram o papel de diplomatas - Foto: Charles de Moura/PMSJC

Gisele Lopes
Secretaria de Educação e Cidadania

Três dias de muitas atividades, debates e apontamentos. Assim cerca de 90 alunos do 7º e 8º ano das 43 escolas municipais de ensino fundamental de São José dos Campos aprenderam na prática como funciona os encontros dos comitês organizados pela ONU (Organização das Nações Unidas).

Realizada entre de terça (11) até esta quinta-feira (13) no Centro de Formação do Educador (Cefe), a ação faz parte da Simulação para o Ensino Fundamental (Sief), que não ocorria desde 2012, e foi retomada pela Prefeitura para estimular as ações de liderança e empreendedorismo nos estudantes da rede de ensino municipal, por meio do programa Líder do Futuro.

Vestidos com traje formal, os alunos, com idade entre 12 e 13 anos, assumiram o papel de diplomatas para negociar e solucionar conflitos. Os debates também envolveram professores, que acompanharam as produções ao lado de orientadores pedagógicos.

Os alunos foram divididos em três grupos: Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur), Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) e Imprensa, que foi a equipe responsável pela cobertura dos encontros e a elaboração de um jornal no final de cada dia, com fotos e notícias sobre as discussões.

“Aqui aprendemos como debater com as outras pessoas nossas ideias e como se apresentar em público”, disse Pedro de Souza Ribeiro, do 8º ano da Escola Municipal Antônio Palma Sobrinho (Parque Nova Esperança), que atuou como representante da Colômbia. Integrante do Pnuma, o estudante sugeriu que países desenvolvidos devam contribuir com uma espécie de fundo com recursos financeiros para ações que possam resolver a crise hídrica em países subdesenvolvidos.

Marcelly Durães, aluna do 8º ano da Escola Municipal Norma de Conti Simão (Bosque dos Ipes), que atuou no Acnur, apontou a ajuda financeira de países mais desenvolvidos como uma das soluções para o atendimento aos refugiados. “A gente está tentando resolver da melhor maneira possível com todos os países envolvidos no comitê.”

A turma da Imprensa preparou ainda a simulação de um jornal ao vivo, com trechos de entrevista elaboradas pelos alunos com educadores responsáveis pelo projeto. “Aqui eu aprendi os bastidores do jornalismo, como funciona o dia a dia de uma redação”, explicou Juliana Amorim, do 7º ano da Escola Municipal Ildete Mendonça Barbosa (Residencial União).

Para Yasmin Emboaba, aluna da Escola Municipal Otacilia Madureira de Moura (Vila Nair), a experiência na redação ajudou a definir a profissão que ela quer seguir. “Eu descobri aqui o que quero fazer. Vou levar essa experiência para a vida inteira.”

No último dia de atividade, foi feita a leitura dos documentos de resolução produzido pelos alunos sobre a questão dos refugiados e do meio ambiente. O treinamento teve a participação voluntária de um acadêmico e dois professores do curso de direito da Unip (Universidade Paulista) e estudantes do ensino médio do Poliedro, que recentemente fizeram o mesmo tipo de debate.


MAIS NOTÍCIAS
Secretaria de Educação e Cidadania