Semana Cassiano Ricardo tem debate, entrega de troféu e palestra nesta quarta
Atualizado em 23/10/2018 - 10:30
Fundação Cultural Cassiano Ricardo
O jornalista e escritor Luiz Octávio fará palestra nesta quarta-feira à noite e falará sobre sua mais recente obra - Foto: Divulgação - Foto: PMSJC

Avelino Israel
Fundação Cultural Cassiano Ricardo

‘Como escrever para gerações que leem cada vez menos’, é o tema do debate que acontece nesta quarta-feira (24), a partir das 14h30, como parte da programação da 52ª Semana Cassiano Ricardo, realizada pela Fundação Cultural Cassiano Ricardo até o dia 27 de outubro. O encontro acontece no auditório do Museu Municipal e reunirá professores e alunos das redes pública e privada de ensino, além de professores e escritores.

Com mediação do jornalista e escritor Júlio Ottoboni, participarão da mesa de debates o professor de literatura do Colégio Opção, Cristiano Machado; a doutora em literatura, professora universitária, publicitária e poeta Andrea de Barros, na Universidade Paulista (Unip), o escritor Alan Guedes, do Coletivo Levante Literário, e o jornalista e escritor convidado Luiz Octávio Augusto de Lima.

Homenagem

Na mesma data e local, a partir das 19h30, a cientista social e folclorista Angela Savastano será homenageada com o Troféu Cassiano Ricardo, oferecido a personalidades da cidade e região pelo trabalho que desenvolvem em prol da comunidade.

Angela Savastano nasceu no Rio de Janeiro em 1932 e em 1945, aos 13 anos de idade, veio com a família para São José dos Campos. Em 1952 casou-se com o médico Rubens Savastano, com quem teve sete filhos (três homens e quatro mulheres). 

Angela é uma das principais responsáveis pela criação do Museu do Folclore de São José dos Campos, em 1987, e do Centro de Estudos da Cultura Popular (CECP), em 1999, organização da sociedade civil sem fins lucrativos da qual é vice-presidente. A instituição é gestora do Museu do Folclore atualmente.

São Paulo em Chamas

Participando pela primeira vez da Semana Cassiano Ricardo, o jornalista Luiz Octávio Augusto de Lima acredita que o poeta joseense (que foi amigo do seu avô) representou um grande marco na Revolução de 1932, assunto do seu livro ‘1932: São Paulo em Chamas’. “As gerações mais novas não o conhecem e não conhecem sua obra. Precisamos recuperar o conhecimento sobre o poeta”, ressaltou o jornalista.

Na palestra que ministrará, logo após a solenidade de entrega do prêmio, o jornalista destacará detalhes da sua mais recente obra que já se tornou um best-seller. A ligação do seu livro com a Semana Cassiano Ricardo pode ser atribuída ao livro escrito pelo poeta joseense, Martim Cererê, que está completando 90 anos de lançamento e que também exalta a Revolução de 1932. 

Formado em Comunicação Social pela PUC-RJ e pós-graduado em Economia pela Unicamp-Facamp, Luiz Octávio atuou nas principais redações de jornais e revistas do país, como Veja, Época, Exame, Estadão, O Globo e Folha de S. Paulo. Dentro da grande imprensa, fez uma carreira sólida e conceituada. Tem 35 anos de profissão como jornalista. 

Como escritor, publicou em 2001 ‘O Xingu dos Villas Boas’. É autor de ‘A Guerra do Paraguai’, ‘1932: São Paulo em chamas’ e ‘21 Grandes Batalhas que mudaram o Brasil’, livros lançados pela Editora Planeta. Ganhador do Prêmio Esso de 2009, de Melhor Contribuição à Imprensa, pelo ‘Museu da Corrupção’ (site). Em 2014 foi finalista do Prêmio Jabuti de Literatura com ‘Pimenta Neves, uma reportagem’. 

Museu Municipal de São José dos Campos

Praça Afonso Pena, 29 – Centro

(12) 3921-7587


MAIS NOTÍCIAS
Fundação Cultural Cassiano Ricardo