Feiras livres viram espaço de aprendizagem sobre comunicação
Atualizado em 19/10/2018 - 14:54
Embraer - Rádio na Feira
Após participarem das oficinas de rádio nas unidades, alunos da Fundhas integram o programa 'Rádio na Feira' com debates, teatros e troca de informações - Foto: Divulgação

Paula Pessoa
Fundhas

Sair das salas de aula e oficinas para aprender sobre comunicação, na prática, em uma feira livre. Esta foi a experiência que crianças e adolescentes da Fundhas (Fundação Hélio Augusto de Souza) têm tido por meio do projeto Rádio na Feira. Nesta quinta-feira (18), um grupo de cerca de 30 alunos, das unidades Embraer e Leste participaram da atividade no Putim, região sudeste de São José dos Campos. 

O projeto “Rádio na Feira” tem apoio do Fundo Municipal de Cultura e passa pelas unidades da Fundhas levando teoria e prática sobre rádio e comunicação e proporcionando o debate sobre temas atuais. A Rádio foi montada logo no início da feira, entre barracas de frutas e verduras e o conhecido ‘caminhão do pastel’. Na programação teve música ao vivo, debates e teatro em meio um ambiente que circulava moradores, crianças, jovens e idosos.

Por meio das oficinas de rádio realizadas nas unidades, os alunos aprendem mais sobre comunicação e desenvolvem o protagonismo infanto-juvenil. Atualmente, as atividades acontecem na Unidade Embraer, que fica no Putim (região sudeste), envolvendo 15 estudantes. 

Aprendizado prático

Gabriel Oliveira da Silva, de 14 anos, e Marcela Camily Santana, com 12, são da Unidade Embraer e foram prestigiar os colegas durante a rádio. “A atividade é bacana, diferente e é bom vir assistir o teatro dos nossos colegas. Gosto da Fundhas, consigo aprender, fazer amigos e ainda tem a comida, que é deliciosa”, afirmou Gabriel enquanto aguardava o início da peça teatral.

Já Marcela, que mora pertinho da feira, onde gosta de ir comer pastel com a família, acha que “é bom sair dos lugares de sempre para ter um dia diferente de aula”.

Alunos da Unidade Leste também participaram da atividade, que teve por pauta debates e reflexões sobre temas atuais, como bullyng e formas de prevenção contra o assédio.

“As pessoas passam pela feira e nos veem apresentando, fazendo debate sobre temas importantes. Nossa peça tem um alerta sobre abusos e assédio, leva informação de um jeito divertido”, explicou Kailane Ingrid, de 12 anos.

“Eu quero ser atriz e amo fazer teatro na Fundhas, é um jeito bom de aprender coisas novas, são experiências como as de hoje que ficam marcadas na gente”, disse Larissa Monique, de 11 anos.

Além dos aprendizados técnicos sobre comunicação e a linguagem de rádio, com termos e conceitos, definição de pautas e programação, o projeto destaca a importância de manifestações artísticas e culturais. Reginaldo Pereira é feirante no Putim e há cerca de dois anos comanda a barraca de ovos, que ficou próxima do estúdio montado pelos jovens. O comerciante interagia com os estudantes e disse ter aprovado a iniciativa.

“Acho muito boa essa atividade, pode ajudá-los a aprenderem de um jeito diferente, em outro ambiente, desenvolvendo a comunicação e formando opinião também”, disse.

Segundo o educador e produtor de rádio e vídeo, Júlio Suñé, responsável pelo projeto, a ideia principal é que as crianças e os adolescentes aprendam sobre comunicação e a ter uma leitura crítica sobre os meios de comunicação e as notícias.

Comunicação e uso de mídias é um dos eixos pedagógicos que a Fundhas oferece aos seus atendidos, com a finalidade de proporcionar vivências que levem ao reconhecimento de potencialidades e habilidades, promover a articulação entre teoria e prática nos processos de aprendizagem, conscientizar para a importância do estudo no desenvolvimento pessoal e profissional, entre outras.           

O projeto

Viabilizado pelo Fundo Municipal de Cultura (FMC) e gerido pela Fundação Cultural Cassiano Ricardo, o projeto ‘Rádio na Feira’ tem mais uma atividade programada para este mês, no dia 26 (sexta), a partir das 9h, na feira do Jardim do Céu (praça Yamagata, região sul).

As atividades serão realizadas por alunos de cinco escolas públicas do município (duas estaduais e três da Fundação Hélio Augusto de Souza - Fundhas) e também envolverão os consumidores. O projeto começou a ser desenvolvido em agosto com a participação de cerca de 125 alunos, que conheceram conceitos básicos de rádio e comunicação. 


MAIS NOTÍCIAS
Fundhas