Árvores da região central terão diagnóstico por imagem nesta quarta
Atualizado em 16/10/2018 - 17:49
Saúde das Árvores 16 10 2018
Com aparelhos de última geração, será possível complementar o diagnóstico técnico de uma espécie e ter maior precisão na avaliação do risco de queda - Foto: PMSJC

Priscila Veiga Vinhas
Secretaria de Urbanismo e Sustentabilidade

A Prefeitura de São José dos Campos deu início ao Programa Saúde das Árvores, que consiste na avaliação do estado fitossanitário das espécies arbóreas do município visando a conservação e prevenção da queda de árvores. Nesta quarta (16), no período da manhã, será realizada análise de árvores da espécie tipuana, localizadas na Praça Maurício Cury, região central.  

A Prefeitura contratou, por meio de licitação, a empresa PD Instrumentos para Pesquisa e Desenvolvimento Ltda para realizar o serviço de diagnóstico por imagem, com uso de equipamentos de tomografia e resistografia, que permitem averiguar a condição de saúde da árvore por meio da análise de imagens e da resistência do tecido vegetal.

O município tem uma demanda de aproximadamente 10 mil pedidos por ano para poda e 5 mil para supressão de árvores. Com o auxílio destes equipamentos de última geração será possível complementar a avaliação técnica visual realizada pelos engenheiros agrônomos e ter maior precisão na avaliação do risco de queda de uma árvore.

Inicialmente foram priorizadas as espécies protegidas por lei e aquelas que estão em locais de grande circulação de pessoas, como nos parques públicos. No entanto, os aparelhos poderão ser empregados no diagnóstico complementar das árvores de qualquer região da cidade, caso existam dúvidas na avaliação técnica visual.  

O aparelho de tomógrafo é composto por sensores que são instalados ao redor do caule da espécie. Cada sensor é estimulado através de batidas e então é gerada uma onda sonora que percorre o interior da árvore, cruzando com as informações dos outros sensores, e assim é gerada uma imagem 3D. Nesta imagem é possível identificar se há cavidades no tecido (locais onde o som não percorreu) e assim decidir o melhor tratamento para a espécie ou se é necessária a supressão. O processo de análise de uma árvore leva em torno de 2 horas.

Já o resistógrafo é um equipamento que mede a resistência da madeira à penetração de uma haste, o que permite detectar defeitos internos. O método é baseado na medida da resistência da madeira à penetração de uma agulha inserida com movimentação constante em uma árvore.

A análise teve início pela árvore localizada no Parque da Cidade, a árvore da chuva Samanea saman, protegida pelo Decreto Municipal 14.878/12 que a tornou imune ao corte. O município tem em torno de 300 exemplares protegidos, entre palmeiras-imperiais, paineiras, figueiras, jacarandás, paus-brasil, jacarandás, entre outras espécies.

Plano de Arborização

O Programa Saúde das Árvores se integra ao Plano Municipal de Arborização Urbana que é o principal instrumento para o planejamento e gestão da arborização urbana do município. O documento que traz as diretrizes para implementar a arborização na cidade, indicando por exemplo, as espécies mais adequadas para plantio nas áreas públicas e metas para ampliar a arborização em vias públicas dos bairros.

São José dos Campos possui um patrimônio arbóreo de mais de 170 mil árvores em vias públicas, parques e áreas verdes no perímetro urbano. Só em calçadas são mais de 80 mil.


MAIS NOTÍCIAS
Secretaria de Urbanismo e Sustentabilidade