De empreendedorismo a preconceito, Fióti ministra palestra no Cejuv
Atualizado em 29/11/2018 - 23:22
Inspirando São José - Evandro Fióti
Irmão do rapper Emicida contou a trajetória pessoal e profissional para jovens e adultos, no auditório do Cejuv - Foto: PMSJC

Thiago Fadini
Secretaria de Esporte e Qualidade de Vida

Empreendedorismo, rap e preconceito. Evandro Fióti, irmão do rapper Emicida, falou sobre tudo e mais um pouco na noite desta quinta-feira (29), no auditório do Centro da Juventude, na região sul.

O cantor, compositor e empresário foi o palestrante da vez do Inspirando São José, promovido pela Prefeitura de São José dos Campos. Ele falou com cerca de 50 pessoas sobre os mais variados temas. Na preparação, o público pode conferir uma rápida apresentação do MC Otávio, que “esquentou” a plateia com rimas rápidas, no estilo das batalhas de rap.

Em seguida, Fióti apresentou a trajetória da Laboratório Fantasma, empresa que gerencia a carreira do irmão e de outros artistas, como Rael e Drik Barbosa, e como largou o emprego numa rede de fast food para investir tudo na empreitada.

Depois, foi a vez dos participantes fazerem uma série de perguntas ao palestrante. Questões sobre o racismo, desafios de se empreender jovem, sobre as antigas rinhas de rap e a carreira do Emicida e a produção musical predominaram. Ele falou sobre a importância do rap como ferramenta social no sentido de fazer o jovem 'se encontrar consigo mesmo'.

"É provado que a cultura de uma maneira geral, acaba sendo eficiente para tirar os jovens das oportunidades que a gente tem, que são a cadeia, o tráfico... você não consegue emprego, não consegue trabalho, então você precisa dessas alternativas. O rap, no meio desse caldeirão cultural, tem uma conexão muito única com o jovem. Ele tem o poder de ter o diálogo que muitas vezes você não consegue ter em casa, às vezes com a família", disse Fióti.

O artista também afirmou que vê a música como "ferramenta de transformação" e deu um alerta para a nova geração rapper que chega aos poucos na cena brasileira. “Não adianta você ir lá e fazer piada sem graça. Precisa fazer sentido a proposta que você está levando. Percebo um pouco disso com esse mundo moderno”, completou Evandro Fióti.

A palestra de Evandro Fióti no Cejuv fechou a série promovida pelo Inspirando São José, realizado pela Prefeitura, que tem como foco trazer para debate assuntos do cotidiano e que interessem ao público jovem da cidade.

Quem é

Paulistano da zona norte da capital, Fióti, 29 anos, teve uma infância difícil. Ele foi criado sem o pai, que faleceu quando tinha 2 anos de idade, mas sempre com o apoio da mãe, Jacira Roque de Oliveira, que incentivou muito o acesso à cultura e educação. Com isso, começou nas artes logo cedo, tendo contato com a música e, posteriormente, se interessando pela moda.

Ao lado de Emicida, Evandro Fióti fundou o Laboratório Fantasma, que gerencia carreiras de outros artistas da cena do rap, como Rael e Kamau. Ele é atual CEO (chefe executivo) da empresa. Derivado do selo, os irmãos criaram a Lab, marca de roupas que debutou na SPFW – São Paulo Fashion Week em 2017.


MAIS NOTÍCIAS
Secretaria de Esporte e Qualidade de Vida