Jovens da Fundhas conhecem a cultura e a realidade quilombola
Atualizado em 27/11/2018 - 10:18
quilombo caçandoca
A atividade fez parte do trabalho realizado em sala de aula, que teve como objetivo abordar o papel do negro na sociedade brasileira - Foto: Divulgação

Quitéria Melo
Fundhas

Adolescentes da Unidade Profissionalizante de Eugênio de Melo, da Fundhas (Fundação Hélio Augusto de Souza), fizeram uma visita técnica ao Quilombo da Caçandoca, em Ubatuba – o primeiro quilombo brasileiro reconhecido em terras da Marinha e que ocupa uma área de 890 hectares.

A atividade fez parte do trabalho realizado em sala de aula, que teve como objetivo abordar o papel do negro na sociedade brasileira, utilizando como base para a discussão o Dia da Consciência Negra, comemorado em 20 de novembro.

Os adolescentes participaram de uma palestra sobre a história do quilombo, sua formação e a importância do negro na história do Brasil. Após a palestra, fizeram um tour cultural em volta da comunidade quilombola. A visita terminou com um banho de mar na praia da Caçandoca.

“Foi um momento muito importante de intenso aprendizado sobre a história do Brasil, além de proporcionar aos nossos jovens a possibilidade de vivenciarem outros espaços que, no dia a dia deles, não teriam essa oportunidade”, disse a professora Débora Cunha.

Gileane Souza Santos, 17 anos, ficou impressionada com a força de vontade das crianças e jovens do povoado que não perdem aula nem quando chove e nem quando o veículo não consegue chegar para levá-los à escola. “Aprendi muita coisa que não sabia sobre os negros e participar da trilha com uma paisagem maravilhosa me fez muito bem”, completou.

Quem também aprovou o passeio foi o adolescente Anderson Jandoso Moura, 18 anos. “Eu gostei da trilha e de saber que o quilombo é uma área que não poderá ser vendida. Outra coisa que me chamou a atenção foi descobrir que só pode morar aqui quem faz parte da ‘árvore genealógica’ do povoado, preservando a tradição quilombola", disse.

O educador Paulo Machado reforça a importância de possibilitar aos estudantes novas vivências em outros espaços educativos e de lazer, o que, segundo ele, contribui para a ampliação dos saberes históricos e culturais, favorecendo os amadurecimentos intelectual e afetivo dos jovens. 

Divisão de Empregabilidade

Através de atividades socioeducativas, com foco na iniciação profissional, a Divisão de Empregabilidade oferece aos adolescentes formação que visa o desenvolvimento do projeto de vida e sua inserção no mundo do trabalho.

Os cursos de Formação Inicial e Continuada são realizados nas unidades das regiões norte, sul e leste, sob a supervisão do Cephas (Centro de Educação Profissional Hélio Augusto de Souza).


MAIS NOTÍCIAS
Fundhas