Operação do Procon combate golpes relacionados a Black Friday
Atualizado em 12/11/2018 - 15:44
Procon  Black Friday  30 10 2018
A equipe de fiscalização do órgão de defesa do consumidor está de olho nos preços para inibir irregularidades - Foto: Charles de Moura/PMSJC

Cláudio Ribeiro
Secretaria de Apoio Jurídico

Marcada para o próximo dia 23, a Black Friday já está estampada em anúncios por todo lado. Tudo isso para chamar a atenção dos consumidores, que aguardam o festival de ofertas para adquirir produtos e serviços com preços e descontos atraentes.

Nessa data, e também no período anterior, muitos fornecedores e indivíduos mal intencionados aproveitam para cometer diversas práticas nocivas ao consumidor. Por isso, o Procon está promovendo ações para coibir as irregularidades.

A equipe de fiscalização está acompanhando a evolução dos preços dos produtos e serviços mais procurados nesta época do ano, com um olhar atento e direcionado a detectar possíveis fraudes. Uma delas é o falso desconto, também chamado de "black fraude", quando há aumento artificial do valor semanas antes do evento.

De forma preventiva, o Procon abordou o assunto em todas as palestras realizadas ao longo do ano. O órgão orientou os consumidores sobre a importância de acompanhar e pesquisar a evolução dos preços.

No ano passado, os assuntos com mais reclamações foram os falsos descontos (maquiagem no preço), problemas na entrega e o descumprimento de ofertas. Durante a Black Friday, o Procon estará de plantão telefônico para dar orientações e registrar as queixas de irregularidades.

Além do atendimento presencial das 8h às 17h na sede (Rua Paulo Setúbal, 220, Jardim São Dimas), o órgão municipal de defesa do consumidor estará disponível das 17h às 22h pelo telefone 151 ou 3909-1440. Caso haja a constatação de práticas abusivas pelo fornecedor, a equipe de fiscalização aplicará as sanções de acordo com o Código de Defesa do Consumidor.

Evite anúncios nas redes sociais

Pelo mundo virtual, circulam inúmeras publicidades falsas e práticas criminosas, como a clonagem de sites de grandes empresas. Passando-se por estas, criminosos anunciam produtos com preços baixos e oferecem pagamentos na forma de boleto ou por transferência bancária. Atraído pelo preço baixo, o consumidor desatento acaba pagando. Mas quando entra em contato com a verdadeira loja, verifica que foi vítima de um golpe. Para evitar esse tipo de situação, não clique em anúncios e ofertas promovidas pelas redes sociais, aplicativos de conversas e e-mails.

Monitore os preços dos produtos

Acompanhe a evolução nos valores dos produtos que pretende adquirir no dia da Black Friday. Mantenha salvas ou imprima as publicidades veiculadas ao longo do período. Se for comprovado que houve maquiagem do preço, o fornecedor responderá administrativamente pelo ato ilícito.

Não compre por impulso

Para evitar o consumismo, faça uma lista dos produtos que você realmente precisa. Isso evita compras desnecessárias, realizadas somente por impulso.

Pesquise sempre o fornecedor

Verifique se a empresa tem endereço fixo, telefone para contato, CNPJ ativo. Procure por relatos de outros consumidores para saber se ela é confiável, tanto no cumprimento da oferta como na entrega no prazo acordado.

Outras dicas importantes

  • Desconfie de preços absurdamente baixos cuja forma de pagamento se dá exclusivamente por boleto
  • Antes de fazer qualquer compra, pesquise o site oficial da empresa, entre em contato pelo telefone e verifique se o anúncio é verdadeiro
  • Imprima ou salve todos os documentos (telas) que demonstrem a compra e confirmação do pedido (comprovante de pagamento, contrato, anúncios)
  • Fique alerta, pois há sites conhecidos que oferecem produtos ou serviços de fornecedores independentes, com preços e condições diferentes para um mesmo produto
  • Antes de comprar, confira sempre qual é a política de troca da empresa
  • Fique atento ao prazo de entrega, especialmente se o objetivo é comprar presentes para ser entregues em datas determinadas
  • Antes de comprar pela internet, confira a lista de sites não recomendados publicada no site Procon

MAIS NOTÍCIAS
Secretaria de Apoio Jurídico