Nova ADL aponta índice baixo de larvas do Aedes em São José dos Campos
09/11/2018 - 09:52
Controle Larvário da Dengue 15 10 2018
A pesquisa foi realizada no período de 15 a 31 de outubro em todas as regiões da cidade: resultado apontou baixo nível de infestação - Foto: Charles de Moura/PMSJC

Nei José Sant' Anna
Secretaria de Saúde

Continua baixo o nível de infestação de larvas do mosquito Aedes aegypti em São José dos Campos. O resultado da quarta e última Avaliação de Densidade Larvária (ADL) do ano apontou Índice Breteau (IB) de 0,3. O resultado foi divulgado nesta sexta-feira (9) pelo Centro de Controle de Zoonoses da Prefeitura.

O índice larvário (Índice Breteau) corresponde ao número de imóveis em que foram encontrados recipientes com larvas do mosquito durante a avaliação.

A pesquisa foi realizada no período de 15 a 31 de outubro em todas as regiões da cidade. O levantamento teve o objetivo de identificar os níveis de infestação das larvas do vetor que transmite doenças como dengue, chikungunya e zika.

Durante a pesquisa, dos 28.171 imóveis visitados, 17.693 foram efetivamente trabalhados. Destes, apenas 48 imóveis continham larvas do Aedes aegypti e em 7 foram encontradas larvas do Aedes albopictus. Foram identificados 11.466 recipientes com característica para acumular larvas, sendo que 6.062 estavam com água (52,8%).

Dentre os recipientes com larvas, havia 24 tipos diferentes de criadouro, como balde, tambor, planta aquática, pratinho de planta, tanque, caixa d'agua, piscina, entre outros.

Desta vez, a ADL seguiu uma nova metodologia de trabalho estabelecida pela Sucen (Superintendência de Controle de Endemias), depois que toda a cidade teve seus imóveis recadastrados, remapeados e redivididos, acompanhando os setores censitários.

De acordo com a nova metodologia, o número de áreas passou de 16 para 42. A mudança permitiu pesquisar um número maior de imóveis de todos os bairros de São José dos Campos, trazendo um retrato ainda mais fiel do panorama de infestação do vetor na cidade.

Das 42 áreas visitadas, somente 4 apresentaram IB acima de 1,0 (variando de 1,03 a 1,48). Outras 19 áreas estão com IB 0 e as demais 19 se encontram abaixo de 1,0 (variando entre 0,19 a 0,87).

Os bairros que apresentaram Índice Breteau mais altos foram a Vila Guarani (1,48), Jardim Nova América, Esplanada do Sol, Jardim Castanheiras, Jardim Cerejeiras, Novo Horizonte (1,09), Morada Fênix, Parque Nova Esperança, Jardim Ebenezer e Jardim Primavera I (1,03). Todos os demais bairros estão abaixo de 1,0.

Pesquisas

Este ano, foram realizadas outras três pesquisas. A primeira ADL, em janeiro, revelou um índice de 1,4, que representava estado de alerta em relação à infestação do Aedes aegypti. A segunda avaliação, em abril, já apontou um índice bem menor: 0,6, o que indicava que o município apresentava um status de nível aceitável. A terceira, em julho, apontou índice de 0,1, nível de classificação baixo.

Os parâmetros estabelecidos pelo Ministério da Saúde preconizam o índice 1,0 como limite ideal, que confere uma baixa probabilidade de risco à epidemia, uma vez que demonstra haver um controle aceitável de infestação dos vetores.

Dengue

São José dos Campos vem registrando índices baixos dos casos de dengue este ano. De janeiro até esta sexta-feira (9), foram 173 casos positivos, sendo 139 autóctones e 34 importados, todos sem gravidade. Houve registro de 1 caso de zika (autóctone) e 2 de chikungunya (importados). O ano de 2017 fechou com 438 casos de dengue.

MAIS NOTÍCIAS
Secretaria de Saúde