Referência no Estado, HM realiza captação de órgãos em criança
Atualizado em 23/03/2018 - 18:07
Fachada Hospital  Municipal  23 08 2018
O Hospital Municipal, em São José dos Campos, é referência em captação de órgãos no Estado de São Paulo - Foto: Charles de Moura/PMSJC

Nei José Sant' Anna
Secretaria de Saúde

O Hospital Municipal Dr. José de Carvalho Florence, unidade da Prefeitura de São José dos Campos gerenciada pela Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM), realizou na madrugada desta quinta-feira (22) a captação de órgãos de uma criança de 3 anos, vítima de afogamento, que teve morte cerebral confirmada no dia anterior. Com autorização da família, foram captados os rins, as córneas e o coração.

Os procedimentos de remoção dos órgãos foram realizados juntamente com as equipes médicas do Hospital da Unicamp, de Campinas, e do Incor (Instituto do Coração), de São Paulo. No total, 5 crianças que aguardavam transplante na fila foram beneficiadas.

O Hospital Municipal é referência em captação de órgãos no Estado de São Paulo. Pertencente à Organização de Procura de Órgãos (OPO) da região de Campinas, o Hospital Municipal é a unidade hospitalar que mais captou órgãos no ano passado. Em 2017, foram 9 corações, 6 pulmões, 13 fígados, 31 rins, 24 córneas e 1 doador de osso, com 85 pessoas beneficiadas. Este ano, já foram captados 3 corações, 5 fígados, 1 pâncreas, 13 rins e 14 córneas, com 34 beneficiados.

Em 2018, comparando com o mesmo período do ano passado, o HM é o hospital que tem mais doação da região de Campinas, um aumento de 80%. Outro dado positivo é o índice de recusa familiar de apenas 18%, bem inferior à média do Estado de São Paulo (37%) e do Brasil (44%). A baixa recusa se reflete no trabalho da Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes do HM junto às famílias.

No Brasil, cerca de 30 mil pessoas aguardam por um transplante. Para ser doador de órgãos ou tecidos, não é necessário deixar nada por escrito, basta avisar a família. A doação só acontece após autorização familiar documentada. O diagnóstico de morte encefálica é feito por pelo menos dois médicos. Um exame gráfico, como ultrassom com Doppler ou arteriografia e eletroencefalograma, é realizado para comprovar que o encéfalo já não funciona mais.

Captações de órgãos

2017

  • 9 corações
  • 6 pulmões
  • 13 fígados
  • 31 rins
  • 24 córneas
  • 1 doador de osso
  • 85 pessoas beneficiadas

2018

  • 3 corações
  • 5 fígados
  • 1 pâncreas
  • 13 rins
  • 14 córneas
  • 34 pessoas beneficiadas

MAIS NOTÍCIAS
Secretaria de Saúde