Parceria reduz fila para transplante de córneas em São José
Atualizado em 21/03/2018 - 15:18
Provisão 21-03-2018
O autônomo Sérgio Henrique de Paula, 49 anos, morador da região central de São José, fez a cirurgia nesta terça e acredita que a facilidade de acesso favorece o acompanhamento pós-transplante - Foto: Divulgação

Ana Lúcia Abranches
Urbam

O Hospital Próvisao realizou 94 transplantes de córneas de janeiro do ano passado a fevereiro deste ano. Esse resultado se deve, em grande parte, à parceria de quase um ano entre a Prefeitura de São José dos Campos, por meio da Urbam (Urbanizadora Municipal), o hospital e o Banco de Olhos de Sorocaba (BOS), firmada em 4 de abril de 2017.

Segundo o Próvisão, a captação de córneas feita na funerária da Urbam foi imprescindível para diminuir a demanda da fila de espera na cidade. Antes da parceria, os pacientes da região contabilizavam mais de 120 pessoas nesta espera. Hoje, são menos de 20 aguardando o transplante. Foram realizadas 573 captações de córneas na Urbam desde o início do programa.

O fortalecimento desta parceria possibilita o aumento de cirurgias e encurtamento da fila de espera, beneficiando inúmeros pacientes. O Próvisão é referência na região no transplante de córneas pelo SUS (Sistema Único de Saúde). “Estamos conseguindo diminuir o tempo de espera pelas cirurgias beneficiando inúmeros pacientes”, disse a gerente hospitalar do Próvisão, Joselma Silva Moreira.

O estudante Yan Machado, 19 anos, ficou quase um ano esperando por uma córnea compatível para a cirurgia. Nesta quarta (21), ele estava aguardando para entrar na sala cirúrgica. “Minha visão é distorcida, embaçada. Descobri, em 2014, que tenho ceratocone (doença não-inflamatória progressiva que provoca mudanças estruturais na córnea, tornando-a mais fina e modificando sua curvatura para um formato de cone). Hoje farei o transplante em um olho e, futuramente, no outro”.

Para Yan, a doação da córnea representa um ato solidário. “Creio que a doação é muito importante e, dependendo do órgão, pode até salvar vidas”. Ele está confiante no resultado da cirurgia.

O autônomo Sérgio Henrique de Paula, 49 anos, morador da região central da cidade, realizou a cirurgia na manhã desta terça. “Meu problema na visão é hereditário e já faz muitos anos. Já fiz várias cirurgias em Sorocaba. Hoje fiz o transplante e também a cirurgia de catarata. Estou confiante. Se melhorar um pouco mais a visão, já me ajuda muito”.

Outro fator positivo, segundo Sérgio, é a facilidade de acesso. “Antes tinha que viajar para fazer a cirurgia e tinha também os retornos médicos. Aqui, a logística facilita muito”. Os pacientes passam por acompanhamento pós-transplante durante seis meses.

Captação

A captação da córnea é feita na Urbam, pelo BOS, e encaminhada para uma fila única destinada aos pacientes de todo Estado por ordem cronológica e clínica. Esse controle é feito pela Central de Transplantes do Estado de São Paulo, que beneficia pessoas também de outras cidades.

A doação de órgãos é um ato de solidariedade e muitos manifestam em vida sua intenção de doá-los. É uma forma de a família saber do desejo da pessoa para que possa autorizar a captação no momento da morte.

Por que e como doar?

A partir de cada doação de córnea, duas pessoas com deficiência visual podem voltar a enxergar. Por ser um tecido e não um órgão, a captação não precisa ser feita em hospitais. O procedimento em funerárias tem garantido o sucesso e aumento do número de transplantes no Estado, possibilitando que muitas pessoas voltem a enxergar. A captação só é realizada mediante assinatura do termo de autorização de doação de córneas pela família do doador. Atualmente, na Urbam, um profissional do BOS permanece em plantão durante 24 horas para abordagens e explicações às famílias e para a realização dos procedimentos de captação.


MAIS NOTÍCIAS
Urbam