Escola conscientiza a comunidade sobre dengue e febre amarela
16/03/2018 - 17:51
Dia de conscientização
Alunos do 5º ano confeccionaram livros informativos para os menores, do 1º ano. A atividade envolveu toda comunidade e escola. - Foto: Beto Freitas/PMSJC

Paula Pessoa
Secretaria de Educação e Cidadania

A Emef Profª Elizabete de Paula Honorato, no Jardim Mariana I (região leste), abriu as portas para familiares de alunos e toda comunidade, nesta sexta-feira (16), para uma apresentação especial dos estudantes. Cerca de 400 pessoas prestigiaram as atividades artísticas de quase 600 alunos dos anos iniciais e, juntos, aprenderam sobre a importância da prevenção de doenças como a dengue e a febre amarela.

Escola cheia e conscientização, este era o ambiente durante a tarde de apresentações. A ação envolveu os educadores e foi elogiada pelos alunos e pais. “Adorei fazer poemas sobre a dengue e a febre amarela, acho muito importante porque ensina todos a se cuidarem. Deixo um recado para as famílias: não deixem água parada, tampem tudo para o mosquito não entrar”, disse a aluna do 4º ano, Ana Beatriz Santana de Oliveira, de 9 anos.

Durante as aulas, todos os estudantes se organizaram para aprender sobre a prevenção às doenças, confeccionar cartazes e preparar as apresentações musicais para o evento. As turmas do 5º ano do fundamental confeccionaram livros informativos para distribuir aos alunos menores, do 1º ano. “Foi muito legal preparar tudo para o evento de hoje, a gente se divertiu, treinamos na sala, fizemos poemas e muitas coisas para apresentar. Aprendi que não podemos deixar água parada, para evitar o mosquito da dengue, precisamos nos cuidar”, foi a mensagem passada pela aluna Marcelle Lima, de 9 anos.

O trabalho de conscientização começa de forma lúdica dentro das salas de aula, mas chega até as famílias e a vizinhança da escola de forma positiva. “Este tipo de trabalho é importante e tem que ser feito na escola, conscientizar não é só questão de educação, é também uma questão de saúde. E as crianças levam o que aprendem para casa, cobram os pais e vizinhos para terem todos os cuidados e prevenir essas doenças”, conta a professora da escola, Débora Maria de Oliveira.

“Acho maravilhoso este tipo de atividade, é fundamental passar para as crianças esse conhecimento, ainda mais na situação que estamos vivendo, que está grave. O modo de prevenir é simples e eles passam do jeito mais lindo do mundo. Meu filho ficou o dia inteiro cantando a música, até decorei, ele aprendeu direitinho, vale a pena”, afirmou Ana Lúcia Martins Gonçalves, dona de casa, e mãe de dois filhos, o Júlio César, do 3º ano, e o João Vitor, do 5º ano.

MAIS NOTÍCIAS
Secretaria de Educação e Cidadania