Encontro marca retomada da Educomunicação Socioambiental
Atualizado em 14/03/2018 - 18:44
Programa de Revitalização de Nascentes  / Pq da Cidade 13 03 2018
O projeto estimula o uso da linguagem audiovisual e a produção de vídeos para sensibilizar sobre a preservação das nascentes - Foto: Charles de Moura/PMSJC

Priscila Veiga Vinhas
Secretaria de Urbanismo e Sustentabilidade

Professores de 16 escolas da rede municipal de ensino de São José dos Campos, envolvidos com a educação ambiental, participam da retomada do projeto de educomunicação do Programa Revitalização de Nascentes em Seminário que teve início na última terça (13) e continua nesta quinta (15) no Parque da Cidade Roberto Burle Marx, às 14 horas, no prédio do ICMBio - Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (Av. Avenida Olivo Gomes, 100, Santana).

O projeto contempla uma sequência de formações para a produção audiovisual que serão desenvolvidas durante o ano, envolvendo oficinas práticas de produção de roteiros e de curta-metragens com professores e alunos, além de conceitos e vivências sobre a proteção da biodiversidade e dos recursos hídricos. O resultado do trabalho culminará na realização da 5ª Mostra de Vídeos Ambientais.

Durante o primeiro encontro os professores puderam realizar, junto com a Assessoria de Educação Ambiental da Secretaria de Urbanismo e Sustentabilidade, um resgate do legado do Programa, iniciado em 2006, que historicamente promove o envolvimento da comunidade escolar no processo de restauração da mata ciliar nas nascentes urbanas situadas no entorno das escolas.

Em 2010 o Projeto trouxe a inovação da linguagem audiovisual como meio de expressão crítica dos jovens e de sensibilização sobre as questões ambientais no meio escolar e em suas comunidades.

Durante a vivência proposta na área da nascente do Parque da Cidade, muitos se emocionaram com a experiência, reconhecendo a importância daquela mata e da sua missão de transmitir valores e transformar pela educação.

“É estimulante ver esses projetos serem retomados e poder reunir teoria e prática com os alunos. A gente sente o potencial de bem-estar oferecido por essas áreas reflorestadas”, destacou a professora de Ciências Aline Lopes de Lima da escola municipal Profª Vera Babo de Oliveira.

"Estou muito feliz em continuarmos essa proposta na escola e com muito gás para começar! É muito importante termos essa qualidade de formação durante o horário de estudo dos professores no HTC", destacou Maria Angélica, professora de Ciências da Escola Municipal Mercedes Rachid Edwards, em São Francisco Xavier.

A professora também destacou os ganhos do uso da tecnologia, auxiliando no processo de aprendizagem. “Quando a gente entrega vídeo para os alunos a resposta é muito rápida e esta é uma linguagem que eles dominam. Quando a gente utiliza o celular como instrumento pedagógico, tanto quanto um livro ou um microscópio, a gente também promove a inserção deste aluno”, afirmou.

Silene de Araújo Gomes Lourenço, consultora em educomunicação socioambiental, que participou desde o nascimento do projeto, destacou a perenidade do programa. “A retomada do programa é muito feliz pois vem reafirmar esse nosso compromisso, olhando para as crianças, com o futuro e com um mundo melhor. Apesar de todas as dificuldades e interrupções ao longo do tempo, a gente confirma que esse é um projeto de competência perene, que nunca morreu dentro da escola e ficou marcado nesses educadores. E isso é de uma valia enorme”.


MAIS NOTÍCIAS
Secretaria de Urbanismo e Sustentabilidade