Palestras do Maio Amarelo reúnem adolescentes e idosos
Atualizado em 08/05/2018 - 22:55
Mobilidade Urbana
Idosos durante palestra realizada na Casa do Idoso Sul - Foto: PMSJC

Giselle Marinho
Secretaria de Mobilidade Urbana

Alunos da Fundhas Dom Bosco, no Campo dos Alemães e integrantes da Casa do Idoso- unidade Andrômeda, ambas na região sul, participaram das palestras sobre o Maio Amarelo nesta segunda-feira (7). Na juventude ou na Terceira Idade, a dica é respeitar as leis de trânsito e fazer escolhas responsáveis para evitar acidentes.

O comportamento seguro dentro do carro, principalmente no que se refere ao uso do cinto de segurança, travessia segura, assim como caminhar pela calçada foram alguns dos assuntos tratados no encontro. A proposta é formar multiplicadores que possam disseminar os conceitos do trânsito seguro nos meios onde convivem.

Nesta terça-feira (8), será o dia da Casa do Idoso Centro receber a equipe de educação para mobilidade. O mês ainda vai contar com blitze para motociclistas e de Lei Seca, realizadas em parceria com as Polícias Militar, Rodoviária Estadual e Federal, abordagens em escolas e bares, exposição em shopping, palestras nas Casas do Idoso, além de uma caminhada pela mobilidade segura, marcada para o dia 20.

Lei Seca

Durante o fim de semana, as abordagem do Maio Amarelo foram na avenida Nove de Julho, região central. No sábado (5), a blitz do programa Lei Seca abordou 40 motoristas. A ação contou com o a presença de agentes da Prefeitura, Detran e policiais militares.

O mês ainda vai contar com outras blitze para motociclistas e de Lei Seca, realizadas em parceria com as Polícias Militar, Rodoviária Estadual e Federal, abordagens em escolas e bares, exposição em shopping, palestras nas Casas do Idoso, além de uma caminhada pela mobilidade segura, marcada para o dia 20.

#NósSomosOTrânsito

Sob o tema “Nós somos o trânsito”, o Maio Amarelo de 2018 traz novamente uma reflexão sobre o papel de cada um na preservação da segurança de todos no trânsito.

Por meio da ação global, que atualmente conta com a participação de mais de 30 países, o movimento busca engajar órgãos públicos, privados e a sociedade civil em ações que chamem a atenção da população para os índice de mortalidade no trânsito e provoquem mudanças de atitudes em prol da segurança no trânsito.


MAIS NOTÍCIAS
Secretaria de Mobilidade Urbana