Tradição, fé, comidas típicas e muita música movimentam São Francisco Xavier
30/06/2018 - 13:26
11ª Festa do Tropeiro de São Francisco Xavier 2018. Foto: Claudio Vieira/PMSJC. 30-06-2018
As pessoas saíam dos seus comércios, das suas casas para ver a tradição que veio do campo e que essa festa fez questão de preservar - Foto: Claudio Vieira/PMSJC

Juliana Costa
Fundação Cultural Cassiano Ricardo

“Tem que ser bruta, mas tem que ser vaidosa”, foi assim que Aldria Alves, 20 anos, da cidade de Igaratá, se definiu como a única mulher em um grupo com mais 12 homens na 11ª Festa do Tropeiro, no distrito de São Francisco Xavier. “Eu cresci no mundo sertanejo. Ando a cavalo desde os dois aninhos e não me vejo fazendo outra coisa na vida. Viemos participar dessa benção hoje, porque temos muita fé e isso faz parte da nossa rotina”.

E assim foram as horas que antecederam ao desfile, neste sábado (30). Aos poucos,  cavalos, cavaleiros, amazonas, carros de boi, carreiros, familiares... todos foram chegando para celebrar a tradição do tropeirismo de São Francisco Xavier, valorizando as pequenas comunidades da Serra da Mantiqueira, onde os tropeiros paravam para descansar quando vinham de Minas Gerais para comercializar produtos no Vale do Paraíba.

Todos prontos. Momento de agradecer e pedir proteção à Nossa Senhora Aparecida. Na saída da porteira, todos que por ali passavam, recebiam as bênçãos com a água benta.

Nas ruas, as pessoas saíam dos seus comércios, das suas casas para conferir de perto a tradição que veio do campo e que essa festa fez questão de preservar.

Emocionado, o pecuarista Ezequiel Francisco Graciano, 60 anos, relembrou os 51 anos em que trabalhou como carreiro, o homem que comanda o carro de boi. “Nossa Senhora Aparecida, fico emocionado com tudo isso aqui. Passa uma história na cabeça da gente vendo esse desfile. Fui muito feliz nessa profissão. Sou nascido aqui, me mudei para o Mato Grosso adulto, onde fiquei poucos anos. Não aguentei de saudade daqui e voltei logo”. Quanto ao barulho das rodas do carro de boi... “se o carro de boi não cantar, nem o boi trabalha direito quem dirá o carreiro. Esse canto que comanda tudo”.

Além do desfile, a 11ª Festa do Tropeiro, que começou na sexta-feira (29), terá ainda muita música, dança e comidas típicas neste final de semana. As atividades seguem até domingo (1º), na praça Cônego Manzi e na Casa dos Tropeiros, no centro do distrito.

Para os comerciantes, esse é um bom momento para o distrito que fica bem movimentado nos três dias de evento. “A festa traz muitas pessoas para São Francisco e isso pra gente é maravilhoso. Todos ganham com esses dias de evento”, afirmou o empresário João Batista, 69 anos.

A realização do encontro é da Fundação Cultural Cassiano Ricardo, Prefeitura de São José dos Campos e Clube dos Tropeiros e Violeiros de São Francisco Xavier.

Programação

Dia 30 (Sábado)

Praça Cônego Antônio Manzi

18h: Orquestra de Viola e Violão do Cafundó da Cidade de Perdões (MG)

20h: Show com Fernando e Fabiano

 

Dia 1º (domingo)

Praça Cônego Antônio Manzi

9h: Santa Missa

17h: Show com Gaby Hadassa

 

Casa dos Tropeiros (Rua XV de novembro, 1051)

11h: Show de viola, danças típicas, demonstração funcional de cavalos na pista dos três tambores e barracas de comidas típicas

14h: Show com Lucas Esteves

15h: Demonstração de pastoreio com cães da raça Border Collie

MAIS NOTÍCIAS
Fundação Cultural Cassiano Ricardo