'Torcedor família' empurrará o São José contra o Corinthians no Lineu
Atualizado em 22/06/2018 - 17:25
Basquete Masculino São José x Corinthians  20 06 2018
Ginásio terá os portões abertos a partir de 19h, uma hora antes do início do jogo; capacidade das arquibancadas é de 1.600 pessoas - Foto: Charles de Moura/PMSJC

Thiago Fadini
Secretaria de Esporte e Qualidade de Vida

A sexta-feira (22) teve uma boa dose de emoção para o torcedor joseense pela manhã com o Brasil na Copa do Mundo e terá ‘replay’ a noite com o São José Basketball na final da Liga Ouro.

O Ginásio Lineu de Moura (Travessa Cesar Leite, 30 – Centro) promete estar lotado para o jogo 4 da série melhor de 5 com o Corinthians. O confronto está marcado para começar às 20h. Os portões serão abertos uma hora antes para a entrada gratuita da torcida.

O apoio das arquibancada será fundamental para a Águia empatar a série, que atualmente está em 2 a 1 para os rivais, e forçar o quinto e último duelo no domingo (24). Se vencer hoje, o São José buscará o título da liga no Ginásio Wlamir Marques, casa dos corintianos.

E se dependesse somente da expectativa do torcedor de São José, a viagem para São Paulo já está garantida. Miliane Mendes, 38 anos, é uma das torcedoras que irá ao Lineu de Moura com o marido, Dênis Uchôa e os dois filhos, um de 13 e outro de 17 anos.

Eles estão otimistas com o jogo, mas esperam que o time comandado por Paulo Jaú melhore a defesa para bater o Corinthians. “A expectativa é positiva, torcer pra empatar a série e pra brigar no domingo pelo titulo. Não está perdido. Hoje acho que vai”, disse Miliane.

A família, aliás, respira basquete. O filho mais velho de Miliane jogou durante toda a adolescência e o mais novo é atualmente jogador da equipe sub-14 do programa Atleta Cidadão. Eles acompanham o atleta em atividade nos treinos e nos jogos.

E a paixão pela modalidade começou por acaso, há cerca de nove anos. “Meu marido e os dois (filhos) foram ver um jogo de futsal no Tênis Clube, mas não conseguiram porque já estava lotado. De lá, acabaram indo num jogo de basquete na associação para me esperar sair da faculdade. Desde então, todos gostamos e acompanhamos”, contou Miliane Mendes.

Já que o destino colocou o basquete na vida da família, que é fanática e que foi a todos os jogos do São José pela Liga Ouro, eles esperam que o no futuro o mais novo também tenha a chance de defender em quadra as cores da cidade.

“O meu mais novo não tinha idade para entrar em escolinha quando começou a gostar, mas recebeu um convite para frequentar aulas. Ele é armador e na época ele se inspirava muito no Fúlvio”, completou Miliane.


MAIS NOTÍCIAS
Secretaria de Esporte e Qualidade de Vida