CCZ conclui 1ª semana de pesquisa do mosquito transmissor da Leishmaniose
Atualizado em 14/06/2018 - 18:01
CCZ retirada de Armadilhas do mosquito leishmaniose 13 06 201
As armadilhas são colocadas à noite e retiradas no dia seguinte para recolher mosquitos para pesquisa - Foto: Charles de Moura/PMSJC

Nei José Sant' Anna
Secretaria de Saúde

A Prefeitura de São José dos Campos, por meio do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), concluiu a primeira semana da pesquisa entomológica para verificar a presença do mosquito transmissor da Leishmaniose Visceral. O trabalho começou pelo Jardim das Indústrias e prossegue no Jardim Esplanada na semana que vem.

As armadilhas são colocadas por agentes do CCZ em 84 imóveis, escolhidos aleatoriamente. Um recipiente, uma proteção de tela e uma hélice formam a armadilha. Durante a noite uma luz que atrai insetos, incluindo o mosquito palha, é acesa através de um sensor. A hélice suga os insetos que ficam presos.

No dia seguinte eles são retirados e levados para um laboratório para análise, onde as espécies são identificadas. O resultado sai dentro de um mês.

Nesta semana, a pesquisa foi realizada em 42 residências do Jardim das Indústrias. Nos dias 19, 20 e 21 de junho será a vez de outras 42 imóveis no Jardim Esplanada.

Em São José dos Campos, eventualmente surgem animais com suspeita ou confirmação laboratorial da doença, situações sempre notificadas por clínicas veterinárias ao CCZ. Em maio, houve a confirmação de dois casos em cães, animais que contraíram a doença fora do município. Em humanos, o último caso registrado em São José ocorreu em 2015: um paciente que contraiu a doença no Estado do Piauí.

Na área urbana, o cão é a principal fonte de infecção. A doença canina tem precedido a ocorrência de casos humanos e a infecção em cães tem sido mais prevalente do que no homem.

O papel da Prefeitura é realizar uma investigação dos casos, levantando o maior número de informações sobre a procedência do animal, seus deslocamentos para áreas endêmicas e locais em que vive no município. Nesses locais, a equipe do CCZ necessita realizar a pesquisa para verificar a presença do flebótomo (vetor) nas imediações.

A doença

A Leishmaniose Visceral é uma zoonose transmitida por um inseto, vulgarmente chamado de mosquito palha. A doença tem caráter crônico, de difícil tratamento, podendo levar cão e homem à morte ou deixar graves sequelas.


MAIS NOTÍCIAS
Secretaria de Saúde