Animais e árvores viram tema de caça ao tesouro na Fundhas
Atualizado em 14/06/2018 - 17:25
Aula ambiental na mata ciliar
Crianças encontram cogumelo estrela na mata ciliar da Fundhas, durante atividade de educação ambiental - Foto: Divulgação

Quitéria Melo
Fundhas

Alunos da Fundhas (Fundação Hélio Augusto de Souza) estão aprendendo sobre o ecossistema de maneira diferenciada. O educador Paulo César dos Santos está mostrando, na prática, a importância das árvores e dos animais para o equilíbrio do ecossistema. Junto à disciplina de educação ambiental, ele desenvolveu uma caça ao tesouro com os animais e plantas existentes na mata ciliar que permeia o Córrego Senhorinha.

O trabalho foi desenvolvido em um circuito com seis pistas que dão dicas do que os alunos têm que encontrar como, por exemplo, árvore paineira, cogumelo estrela e lagarta. Ao encontrarem as pistas, as crianças montam os desenhos como se fosse um quebra-cabeça e, posteriormente, seguem nova pista até encontrar o tesouro.

Em grupos, meninos e meninas saem em busca do tesouro que é uma garrafa de água, envolta em uma “cápsula” de bambu.

Quem participou desta dinâmica foi Pedro Enrique Alves Ribeiro, 9 anos, que ficou feliz demais quando encontrou o tesouro. “A gente foi procurando as coisas na mata e quando conseguimos encontrar o tesouro foi muito legal. Achei a tarefa mais ou menos difícil, porque os bichos estavam bem escondidos. Eu gostei tanto que queria fazer de novo”.

Trabalho e estratégias

Crianças de 8 e 9 anos estão pesquisando, desde o início do ano, sobre animais e plantas existentes na mata ciliar da Fundação, que tem sido utilizada como sala de aula a céu aberto.

O educador Paulo César explicou a importância dos animais, das árvores e da água para a vida do planeta e, consequentemente, das pessoas. Na prática, as crianças aprendem a relação dos animais com as plantas e recebem, durante o desenvolvimento das atividades, o desafio de descobrir animais de solo como minhocas, lacraias, piolho de cobra, tesourinhas e tatuzinho por exemplo. Quando encontram um animal, o educador explica sobre sua importância, além dos cuidados com a segurança.

A mata ciliar também serve de cenário para o trabalho sobre camuflagem. O educador produziu, com massa de modelar, animais não necessariamente frequentadores da mata e os escondeu por entre as folhas e galhos das árvores. Durante a trilha, os alunos iam fazendo as descobertas e aprendendo ao mesmo tempo.

Gabriela dos Santos Silva, 8 anos, disse que seguiu as pistas direitinho. “Eu adorei achar o pau-formiga. A gente tinha de montar e depois procurar a árvore. Tudo dentro da mata”, disse.

A Instituição

A Fundhas é mantida pela Prefeitura de São José dos Campos e atende gratuitamente crianças e adolescentes, de 6 a 18 anos, que participam de atividades no contraturno escolar, com atividades educacionais como música, dança, teatro, artes e uma atenção especial ao reforço escolar. Esporte e cultura também fazem parte do dia a dia dos alunos, que ainda aprendem a cuidar do meio ambiente.


MAIS NOTÍCIAS
Fundhas