Alunos do Luzes da Ribalta se encontram com maestro João Carlos Martins
Atualizado em 06/06/2018 - 17:36
Orquestra Luzes da Ribalta com maestro João Carlos Martins
Os estudantes participam do Instituto Cultural Luzes da Ribalta, ligada a um projeto social que ensina música erudita - Foto: Divulgação

Paula Pessoa
Secretaria de Educação e Cidadania

Alunos da rede municipal de ensino de São José dos Campos tiveram um encontro especial com o maestro João Carlos Martins, regente da Orquestra Bachiana Filarmônica do Sesi-SP, na tarde desta terça-feira (5). Os estudantes fazem parte da Orquestra infantojuvenil Luzes da Ribalta, ligada a um projeto social que ensina música erudita a crianças, jovens e adolescentes na cidade. O evento aconteceu no teatro da unidade do Sesi São José, que fica no Bosque dos Eucaliptos (região sul).

Conhecido mundialmente, o maestro esteve presente na cidade para apresentação da Bachiana, na Igreja da Cidade, e, antes da apresentação, conversou com o grupo de músicos.

“Gostei muito de ouvir o maestro, que fez críticas construtivas e também nos ouviu, foi muito bom. O que eu mais gosto é de tocar em grupo, espero entrar em uma orquestra como a Osesp (Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo) no futuro”, disse Arthur Dias Nunes, de 13 anos, aluno do 8º ano na Emef Profª Ruth Nunes da Trindade, que fica no Parque Interlagos (região sul). Arthur estuda música há três anos e atualmente toca viola erudita no Luzes da Ribalta.

Outro aluno da Emef Profª Ruth Nunes da Trindade presente no evento foi o violoncelista Rian Romero Pereira, de 10 anos, que está no 5º ano do ensino fundamental. “Gosto muito do ritmo da música e de tocar em grupo, ela passa muitos sentimentos e emoções para mim quando estou tocando, principalmente a alegria. Achei muito legal poder ouvir o maestro e tocar para ele a nova parte da música ‘Asa Branca’”.

As irmãs Isabella e Rafaela Lopes Torres, de 10 e 13 anos, respectivamente, são alunas da Emef Profª Luzia Levina Aparecida Borges, do Jardim Cruzeiro do Sul, e há cerca de três meses participam das aulas de violino no Instituto Cultural Luzes da Ribalta. Após a apresentação para o maestro, a ansiedade das meninas deu lugar à alegria.

“Gosto muito de ouvir e tocar, a música me ensina, principalmente, a saber ouvir com atenção, treinar a escuta. O encontro aqui foi muito bom, estava muito ansiosa, agora estou feliz”, contou Rafaela.

“Fazia tempo que eu queria aprender a tocar violino, a maior emoção para mim é me apresentar, por isso quero continuar aprendendo música”, disse Isabella.

Após apresentação do grupo, o maestro conversou com as crianças e os jovens e deixou como lição duas palavras importantes: disciplina e emoção. Segundo Martins, a disciplina envolve o estudo diário indispensável aos músicos que desejam se aperfeiçoar, estes devem ter “mania pela afinação”. Além da técnica, também devem buscar interpretar o que tocam, transmitindo emoção para o público. "O importante é fazer tudo com um objetivo e o objetivo do músico é a procura do perfeccionismo e transmitir a emoção, sentir a música”, destacou o maestro em conversa com os alunos.

Sobre o Luzes da Ribalta
O Instituto Cultural Luzes da Ribalta, fundado há três anos, pelo professor de música Deusdete Guimarães, é uma organização que atende cerca de 35 crianças e adolescentes, entre 6 e 17 anos, no Parque Interlagos. A maioria dos participantes do Instituto é aluna da rede municipal de ensino.

Em turmas separadas pelos níveis iniciante e avançado, os estudantes aprendem violino, viola erudita ou violoncelo. Os instrumentos utilizados nas aulas são, em sua maioria, confeccionados pelo próprio professor Deusdete, que utiliza madeiras recicladas e compradas e disponibiliza às crianças que levem seu instrumento para praticar em casa.


MAIS NOTÍCIAS
Secretaria de Educação e Cidadania