Guarda Civil Municipal completa 30 anos de história e dedicação
Atualizado em 08/01/2018 - 14:30
Guarda Civil
A corporação chega ao trigésimo ano como uma nova força de atuação - Foto: Charles de Moura/PMSJC

Rodrigo Simões Machado
Secretaria de Proteção ao Cidadão

A Guarda Civil Municipal de São José dos Campos completa 30 anos de história e a Prefeitura dará início a uma série de homenagens aos servidores, que atuam na proteção ao patrimônio público, na preservação do município e contribuem para a segurança pública da população joseense.

Criada pela lei municipal 3.298, de 1988, a corporação chega ao trigésimo ano como uma nova força de atuação, forma de se relacionar com a comunidade, tornando-se uma guarda modelo para a Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte e para outras cidades do interior paulista e até outros Estados.

O ano de 2018 será um ano comemorativo tanto para os representantes da GCM quanto para a população, que terá cada vez mais uma Guarda preparada.

A proteção dos direitos humanos e fundamentais, do exercício da cidadania e das liberdades públicas, a preservação da vida, o patrulhamento preventivo, o compromisso com a evolução social da comunidade e o uso progressivo da força são os princípios da GCM, segundo o comandante da GCM, Devair Pietraroia.

Ele conta que foi a melhor escolha profissional que já fez em toda sua vida. “É um prazer saber que sempre podemos ajudar alguém de alguma forma, seja na parte social ou mesmo em situação de riscos”, afirmou.

Corporação

A GCM mantém o efetivo 24 horas nas ruas, que apoia e integra operações conjuntas de atividades de fiscalização e ordenamento urbano, coíbe atos de vandalismo, zela pela estética urbana e promove a segurança pública dos bens públicos e em eventos oficiais.

Há três décadas na instituição, o GCM Elvis de Jesus, de 51 anos, tem a corporação como extensão de sua vida pessoal. “Escolhi uma carreira pública na área de segurança por optar servir minha cidade. Nesses 30 anos muitos foram os avanços relacionados às tratativas das questões de segurança pública. A cidade, sempre na vanguarda do tempo e dos acontecimentos, migrou para os caminhos da prevenção do delito na presença constante dos agentes municipais nos equipamentos e vias públicas”, disse.

Segundo Elvis, se todos os problemas de segurança não foram resolvidos ao longo dos anos, grande parte deles foi sanado com a ajuda da Guarda Municipal e de seus profissionais, que trabalham de forma diuturna nos 365 dias do ano, atuando nos mais diversos segmentos da vida social da comunidade. “Prevenir é o melhor caminho e isso nossa instituição municipal faz com louvor”, completou.

Elvis recorda de alguns episódios onde a imediata participação e integração da GCM e de seus agentes aos demais órgãos de emergência, atendimento social e segurança pública, foi de fundamental importância para a diminuição do sofrimento humano. “São marcos na vida da instituição e de todos os seus agentes. Carinhosamente chamada de ‘Benemérita’ e ‘Generosa’, a instituição tem a marca e o DNA do povo joseense, apesar de congregar pessoas de todo o Brasil, legalista por doutrina, republicana por filosofia e humana por vocação".

Nova Geração

Outro guarda que faz questão de comemorar é o Max Silvério, de 31 anos. Ele sempre gostou da área de segurança pública. “O meu irmão é sargento da PM e o mais novo era da Polícia do Exército. Antes de ser GCM havia trabalhado na Polícia Militar, no serviço administrativo e no trânsito de outro município como agente de trânsito”, disse. “Gostaria muito de ver minha instituição mais reconhecida e estruturada”, disse ele, que ingressou em 2011.

“Na época foi necessidade, pois não sabia direito o que era ser guarda civil, mas com o passar do tempo e tendo mais informações da corporação, aprendi a amar essa profissão. Também descobri que poderia contribuir para o crescimento da GCM, conhecimento que busquei ao longo dos anos, com muitos cursos e experiência de vida”, disse Celso Ferreira, de 48 anos, instrutor da GCM desde 2008.

Comunidade

A GCM aposta no envolvimento com a comunidade por meio de atividades culturais e esportivas. É o caso do Programa Anjos da Guarda, que oferece esportes, palestras, teatros e outras ações à população. 

O guarda Márcio Gregate, de 46 anos, é um desses protagonistas do programa. “É uma profissão disciplinada e hierarquizada tendo como o principal objetivo preservar vidas e promover a todas as pessoas segurança e relações de paz, por meio de ações de uma polícia comunitária e de aproximação por meio de esporte e cultura”, disse.  


MAIS NOTÍCIAS
Secretaria de Proteção ao Cidadão