Educação de Jovens e Adultos é oportunidade de recomeço
Atualizado em 20/02/2018 - 18:54
EJA / 20 02 2018
A EJA reúne histórias de superação e mudança de vida através dos estudos, como a do aluno Elio Cândido dos Santos, de 40 anos, da Emef Áurea Cantinho. - Foto: Charles de Moura/PMSJC

Paula Pessoa
Secretaria de Educação e Cidadania

A Educação para Jovens e Adultos (EJA) tem impacto positivo e permite transformações na vida de alunos e professores. O curso é oferecido pela Prefeitura de São José dos Campos, por meio da Secretaria de Educação e Cidadania, em dez escolas da rede municipal de ensino e atende cerca de 1.600 alunos.

A EJA reúne histórias de superação como a do aluno Elio Cândido dos Santos, de 40 anos, da Emef Áurea Cantinho, na região central da cidade.

Nascido na Bahia, Elio chegou há três anos em São José dos Campos, após passar por dificuldades devido a problemas com vícios e depois de ter ficado viúvo. Por conta de adversidades em seu caminho, contou que não conseguiu iniciar os estudos regularmente e a chance de realizar o sonho de estudar veio em 2015, através da EJA.

Após ser acolhido por missionários franciscanos e passar um ano se recuperando, decidiu retomar a vida a partir dos estudos. “Cheguei na escola perdido e falei para a professora que não sabia  nada, pedi ajuda. Todas sempre me falavam: `você vai aprender sim, já fui assim, eu não sabia também´, e eu pensava: se elas estão dizendo que vou aprender, então eu vou aprender”, disse.

O apoio da equipe pedagógica e da direção da escola Áurea Cantinho fez toda a diferença para Elio, que atualmente é aluno da primeira fase da EJA II, que corresponde ao 6º ano do Fundamental. “Eu gosto de todas as partes das aulas, mas o que mais me anima é a Matemática. Daqui pra frente peço muito a Deus pra me dar força pra terminar meus estudos, porque terminando os estudos aqui vem a continuação, posso fazer uma faculdade, quem sabe né? Todo mundo sempre me dizia que estudar era bom, mas eu não tinha aquela força para começar. Agora que comecei, eu não paro não”, disse Elio.

A Educação para Jovens e Adultos é voltada para pessoas acima de 15 anos que não concluíram o ensino fundamental. As aulas são realizadas no período noturno, sem custo para o estudante. A cada semestre, o aluno cursa um ano do ensino fundamental, sendo avaliado conforme o seu desempenho.

 “O que me marcou mais foi a mudança, não sabia de nada quando entrei aqui, não sabia escrever, pegava um celular e só sabia fazer ligação, nem escrevia uma mensagem. Fui aprendendo, minha caligrafia melhorou. Não sabia fazer contas básicas e já perdi oportunidades de emprego por isso. Precisava aprender, tive muito incentivo, de muitas pessoas, que disseram que quando eu mudasse e aprendesse tudo ia dar certo na minha vida, e vem dando certo, viu?”, disse o aluno que, além de frequentar as aulas noturnas, trabalha em um restaurante da cidade.  

E essa mudança faz parte também da rotina e da vida dos educadores que trabalham na EJA. “Entre nossos alunos têm bastante jovens, aqueles que estão em busca de emprego, querendo voltar para o mercado de trabalho e os que querem voltar aos estudos. Toda vez que voltam às aulas chegam com animação, a escola fica cheia e com aquele clima de reencontro e acolhida, é muito bom”, disse a coordenadora EJA na Emef Áurea Cantinho, Caroline Letícia Lima Rodrigues.

“A EJA é apaixonante, só conhecendo para saber e sentir esse carinho, sabendo da importância dela”, disse a professora Kátia Sanches, que leciona História e é responsável pela Sala de Leitura na Áurea Cantinho. Há mais de 30 anos lecionando na rede municipal de ensino, 6 deles na escola Áurea Cantinho, Kátia se diz agraciada por fazer parte da equipe da escola. “O sucesso da nossa escola se dá pela equipe toda comprometida e os alunos também comprometidos, eles são presentes para nós. Temos um grupo formado, todos com boa vontade e um objetivo único entre todos da escola: o nosso aluno, ele é a prioridade. Ele é importante, quem quer que seja ele, a sua história ou seu passado, damos importância e investimos nele”, afirmou.

“Na EJA, é 50 por cento do professor e 50 por cento deles, e eles querem e sentem que não dá mais pra postergar, é agora. É uma química muito boa, para mim os alunos acrescentam muito, principalmente a vontade de mudar. A aprendizagem só ocorre quando há interesse", disse a educadora.   

Inscrições abertas

Cerca de 500 novas vagas estão disponibilizadas para o 1º semestre deste ano na EJA. As aulas acontecem no período noturno. Cada semestre no curso equivale a um ano do ensino fundamental e os alunos são avaliados conforme seu desempenho. As turmas são divididas em: EJA I (do 1º ao 5º ano) e EJA II (6º ao 9º ano).

Para fazer o cadastro, o candidato interessado deverá ir até uma escola da EJA ou ligar na Central 156, informando o número do documento de identidade (RG), endereço residencial e a última série/ano no qual estudou. Após a inscrição, a escola entrará em contato com os candidatos para a realização da matrícula de acordo com as vagas disponíveis por escola.  


MAIS NOTÍCIAS
Secretaria de Educação e Cidadania