Vicentina Aranha captou R$ 462 mil em 2017 para restauro
Atualizado em 05/02/2018 - 17:47
Solenidade de agradecimento aos apoiadores do Vicentina Aranha
Os dados foram divulgados durante encontro com apoiadores da sociedade e de empresas privadas - Foto: PMSJC

Cláudio Ribeiro
Secretaria de Governança

No ano passado, a campanha de captação de recursos para o restauro do Parque Vicentina Aranha obteve R$ 462.941,13 por meio de leis de incentivo. Desse total, 12,9% vieram de pessoas físicas e 87,1% de entes jurídicos.

Os resultados foram apresentados pela Prefeitura de São José dos Campos e Associação para o Fomento da Arte e da Cultura (Afac), organização social gestora do parque, em solenidade realizada no local, no domingo (4). Participaram do evento autoridades municipais, diretores da entidade e apoiadores da iniciativa privada e munícipes que destinaram parte do Imposto de Renda para o restauro do Pavilhão Marina Crespi e Antiga Cozinha e Refeitório por meio de leis de incentivo.

Durante a cerimônia, os dirigentes da Afac divulgaram a proposta de uso dos recursos. O projeto de restauro e reabilitação do Pavilhão Marina Crespi, uma das menores edificações do complexo arquitetônico, foi aprovado pela Lei Rouanet, no valor total de R$ 302.864,65. Em 2016, foram captados R$ 67.595 via leis de incentivo. Já em 2017, o valor captado foi de R$ 213.504,13. O montante total será aplicado para instalações hidrossanitárias, alvenarias internas, revestimento argamassado e pintura do interior e exterior do prédio.

Já o projeto da Antiga Cozinha e Refeitório, também aprovado pela Lei Rouanet, tem valor de R$ 1.054.624,03. No ano passado foram captados R$ 249.437 via leis de incentivo, que equivale a cerca de 20% do total. Esse montante será aplicado em projetos executivos, consolidação e estabilização das fundações e estrutura da edificação, revisão da estrutura da cobertura e do telhamento.

Para a Prefeitura, o apoio da sociedade no restauro do Parque Vicentina Aranha significa o exercício da cidadania para o benefício da cidade, sendo um exemplo de união de esforços entre os cidadãos, as organizações sociais, empresas e o poder público.

Na opinião do gerente administrativo e financeiro da Latécoère, Giulliano Mendes, o projeto de restauro do parque está alinhado com a política da empresa. “Buscamos um novo patamar de civilidade, pautado na qualidade de vida e adoção de programas efetivos de equidade, desenvolvimento humano e cultural dos funcionários, suas famílias, da comunidade e da preservação do meio ambiente."

“De 350, selecionamos três projetos, entre eles a futura Biblioteca Marina Crespi, e, estando aqui, fiquei ainda mais honrada de poder participar do restauro”, disse Letícia Albernaz Guimarães Lyle, diretora da Somos Educação. Representando as pessoas físicas, o munícipe Diógenes Anthony Marcondes Antunes destacou a importância da iniciativa. “Nós, como apoiadores, precisamos ampliar o conhecimento sobre as leis de incentivo para que não só o parque seja apoiado como também outras instituições da cidade.”

Localizado numa área de 84.500 metros quadrados na região central da cidade, o Parque Vicentina Aranha oferece atividades de cultura e qualidade de vida, com uma programação mensal gratuita à população. São mais de 30 atividades para todas as idades nas áreas de música, teatro, cinema, exposições, literatura, oficinas, qualidade de vida, artesanato. O restauro das edificações possibilitará a ampliação das atividades culturais e preservação da história de um dos mais importantes patrimônios do Vale do Paraíba.


MAIS NOTÍCIAS
Secretaria de Governança