Novos guardas formam ‘safra’ de maior qualidade na história da GCM
Atualizado em 21/12/2018 - 15:22
Novos GCMs durante treinamento. Foto: Claudio Vieira/PMSJC. 05-12-2018
Akira, Nayara e Henrique: representantes de uma geração de alto nível que estará patrulhando a cidade no próximo ano - Foto: Claudio Vieira/PMSJC

Wagner Matheus
Secretaria de Proteção ao Cidadão

Desde o dia 19 de novembro, quando foram anunciados os 70 nomes dos aprovados para o curso de formação dos novos integrantes da Guarda Civil Municipal (GCM) de São José dos Campos, os responsáveis pela corporação se depararam com uma agradável surpresa. O nível intelectual e a formação acadêmica da maioria dos candidatos selecionados em concurso público é bastante elevado.

“Tivemos boas turmas nos concursos de 2000, 2011 e 2015, mas esse grupo supera os anteriores em formação acadêmica”, analisou o inspetor GCM Celso Ferreira, responsável pelo curso que, após 760 horas, irá colocar novos guardas na GCM. “Assim fica cada vez mais fácil trabalhar”.

Boa parte dos aprovados no concurso já possui curso superior. Isto fez com que a disputa pelas 70 vagas ficasse bastante acirrada. Tanto assim que o primeiro colocado entre os 4.563 candidatos garantiu que estudou 12 horas por dia nos 30 dias que antecederam a prova teórica.

Se o nível dos alunos tem surpreendido, o nível do curso também está deixando os alunos admirados. São várias disciplinas, ministradas por professores especialistas e parceiros convidados.

A formação dos guardas, que teve início em novembro, irá se estender até meados de abril do ano que vem. O curso tem dois módulos. O primeiro, que consta de legislação e disciplina, termina no final deste ano. O segundo módulo começa em janeiro e envolve armamento e tiro.

Até agora a rotina dos alunos começa com ordem unida pela manhã, seguida de aulas teóricas até o meio da tarde, quando o dia é encerrado com educação física e artes marciais. Todas as atividades estão sendo realizadas no Centro de Formação do Educador (Cefe), no bairro de Santana, região norte. Em janeiro, as emoções aumentam com as atividades no estande de tiro da GCM, na área da antiga pedreira municipal.

Para a população, fica a boa notícia de que os 70 novos guardas que começarão a trabalhar no ano que vem estarão altamente capacitados para lidar com os cidadãos de bem e também para evitar crimes na cidade. Sejam todos bem-vindos.

1º colocado estudava 12h por dia

O primeiro colocado na classificação geral do concurso da GCM foi Henrique Ferreira de Lima, 28 anos. Ele nasceu em São Paulo e morava em Guaratinguetá até recentemente. Formado como tecnólogo em processos metalúrgicos pela Fatec, estava terminando a faculdade de engenharia elétrica quando sua vida mudou por completo.

Entre novembro de 2017 e abril deste ano, Henrique cursou a Escola de Soldados do 5º BPMI da Polícia Militar, em Taubaté. Mas, ao ficar sabendo do concurso da Guarda de São José, resolveu disputar uma vaga.

“Comecei a estudar e dei maior atenção às questões de direito, que acabaram caíram bastante na prova”, lembrou o campeão do concurso. “Resolvi sair do curso da PM e, durante um mês inteiro, dediquei 12 horas por dia aos estudos”.

Depois de tanto esforço, o resultado não foi surpresa, garantiu Henrique. “Cheguei na prova muito bem preparado. E a parte prática também ajudou porque eu já vinha me aperfeiçoando na escola da PM”.

Hoje, durante o curso de formação, Henrique sente que tomou a decisão correta. “Sempre gostei da força pública, já fui até bombeiro municipal”, explicou. “A GCM tem uma ótima fama na região, ela gera excelentes resultados para a população”.

Ele elogia a preparação que está recebendo. “O curso de formação da GCM é muito mais completo do que eu imaginava, tem duração de cinco meses e muitas disciplinas”, observou.

Sua expectativa para começar o trabalho nas ruas e propriedades públicas é grande. “Temos que nos esforçar para cumprir bem a nossa missão, que é cuidar dos bens, serviços e instalações do município. Tudo conforme diz a Constituição Federal”.

Entre a GCM e o ITA

Akira Nagamatsu, 26 anos, nasceu em São José do Rio Preto e mora há 18 anos em São José, no Jardim Satélite, região sul. Ele foi 38º colocado no concurso, mas seu destino chegou a ficar dividido entre a GCM e o renomado Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), um dos centros de ensino mais conceituados do país.

Graduado em engenharia de materiais pela Unifesp em 2016, Akira estava cursando o último período de ciência e tecnologia e ainda ganhou a grande oportunidade de iniciar um mestrado no ITA em engenharia de materiais.

“Comecei o mestrado nesse segundo semestre, mas tranquei tudo para me dedicar à carreira”, explicou. “A gente tem que fazer escolhas na vida. E a minha escolha foi pela GCM”.

O agora aluno da Guarda conta que sempre admirou a corporação. “É uma instituição de respeito, competente, é uma honra poder fazer parte dela”, garantiu.

Ele também elogia o curso que está fazendo. “Mostra muito bem a competência da GCM na área da segurança no município. Está superando as minhas expectativas”, disse o futuro guarda municipal que trocou o ITA para servir à população de São José.

Empoderamento feminino

Representante das quatro alunas classificadas entre os 70 futuros guardas, Nayara Carvalho, 27 anos, está consciente de que ela e as colegas exercem um papel importante no processo de empoderamento feminino que já é realidade em todos os setores da sociedade. Ela foi a sétima colocada no geral e a primeira entre as mulheres.  

Nascida em Taubaté, Nayara mora há cinco anos em São José, no Altos de Santana, região norte. Estudou na rede pública até o sétimo ano do ensino fundamental, quando ganhou uma bolsa por sua habilidade como atleta de futsal. Graças a ela, frequentou escola particular até o ensino médio.

Pelo futsal, Nayara representou a cidade em várias competições, com muitos títulos. Formou-se em educação física pela Unitau e passou a atuar como preparadora física no programa Atleta Cidadão, pelo Fadenp (Fundo de Apoio ao Desporto Não Profissional). Conciliou o trabalho e os estudos para o concurso da GCM até as finais do Campeonato Paulista de Futsal feminino, em que a equipe da cidade foi vice-campeã.

“Resolvi me inscrever porque fazia cursinho preparatório e fiquei sabendo do concurso”, conta Nayara. “Admirava o serviço, o fardamento, a postura da Guarda”.

Os pais e os cinco irmãos dela apoiaram sua decisão. A mãe ficou muito orgulhosa, apesar de achar a atividade perigosa. Para Mayara, fica a certeza de que irá representar muito bem as mulheres na GCM.


MAIS NOTÍCIAS
Secretaria de Proteção ao Cidadão