Rael da Rima canta para 10 mil pessoas no último Conexão Juventude de 2018
Atualizado em 10/12/2018 - 11:42
Conexão Juventude Edição Especial. Foto: Claudio Vieira/PMSJC. 08-12-2018
Rapper paulistano reunião multidão de jovens no pavilhão; serviços foram bem aproveitados pela população - Foto: Claudio Vieira/PMSJC

Thiago Fadini
Secretaria de Esporte e Qualidade de Vida

Com muita democracia, diálogo e ‘seguindo as batidas do coração’, o Conexão Juventude, realizado pela Prefeitura de São José dos Campos, se despediu oficialmente, neste domingo (9), de 2018.

A edição especial de número 22 realizada no Centro da Juventude, na região sul, reuniu cerca 10 mil pessoas para uma tarde cheia de arte, cultura e esporte. E o ponto alto da festa foi o show do rapper paulistano Israel Feliciano, o Rael da Rima, que lotou o pavilhão da unidade, no início da noite. A entrada foi livre para o público e não houve nenhum ocorrência.

Na plateia, a grande maioria de jovens curtiu, cantou e aproveitou as músicas cantadas por Rael, que foram desde autorias próprias até canções do grupo Racionais Mc’s, além de uma parceria com o duo joseense Síntese. As letras falam sobre amor, cidadania, preconceito, entre outras questões presentes na vida de milhões de pessoas.

E para o cantor, o fato da apresentação ter sido totalmente gratuita tornou a tarde no Cejuv muito especial. “Um evento como esse é uma das coisas em que acredito, porque um dos eventos que mudou a minha vida foi um dos que eram gratuitos, lá na favela onde eu morava. Foi o primeiro show que eu vi do Racionais e foi uma coisa que eu vi, não sabia nem quem era. Eu era criança e estava igual hoje ali (na plateia)”, disse Rael, logo após sair do palco.

Ele completou o elogio ao evento explicando que vê os shows gratuitos como os melhores, já que canta muito na noite, para públicos mais velhos e com alguma condição para comprar ingressos. “Tinha criança, tinha idoso, tinha galera do skate andando ali. São eventos mais democráticos que eu acredito. Quando rola esses, quem faz o show é eles”, falou Rael da Rima.

Coalizão São José

Muito além da música, o último Conexão Juventude reuniu prestação de serviços, lazer e cultura. Shows de pagode com Brilho no Olhar e sertanejo com Gaby Hadassa, espaços para diversão infantil, orientações jurídicas, cortes de cabelo gratuito e oficinas do Coalizão São José, promovido pela Secretaria de Apoio Social ao Cidadão, foram algumas das atrações.

O Coalizão, inclusive, comemorou o 1º ano de vida com o “1º Comunicação Show – Curtindo uma Vida Saudável”. A ação incluiu ações culturais e desportivas nas tendas próximas ao Espaço Jovem. Em frente à ele, aliás, um palco para batalhas de rimas fez sucesso entre os jovens, só dando um 'break' para a apresentação de Rael.

O Coalizão São José é uma estratégia de prevenção que, junto com a comunidade, aproveita o que tem de melhor para construir uma cidade mais saudável, levando em consideração que o uso de álcool e outras drogas atinge a todos, não fazendo diferença entre classe social, raça ou credo.

Próximo do palco do rap, logo abaixo do pergolado e ao lado da Academia ao Ar Livre do Cejuv, José Roberto e Matheus Santos, de 55 e 15 anos respectivamente, mediam os ângulos dos cortes com a tesoura, máquina e a navalha nos cabelos dos cidadãos que buscava o serviço.

Pai e filho, eles fazem parte do programa da Ajas (Associação Joseense de Assistência Social), promovido pela Prefeitura, que auxilia os munícipes que buscam aprender um ofício e a terem uma profissão. O espaço dado pela Conexão rendeu trabalho e gratidão aos dois.

“Acho que é uma via de duas mãos. É bom para os meus alunos, porque eles têm aonde exercitar o aprendizado, é bom que muitas vezes eles colaboram com pessoas que têm necessidade de acessar (o serviço)”, opinou José Roberto.

O jovem Matheus estudará no 1º ano do Ensino Médio em 2019 e procurou aprender a arte da barbearia com o pai por vontade própria. No entanto, as lâminas da tesoura são o ‘plano B’ para caso a primeira opção não dê certo. “Primeiramente, estou tentando no futebol. Se não der certo, a gente pode ser barbeiro”, contou Matheus.

Falando a mesma língua

Anfitrião do palco no Conexão, Rael pisou em São José dos Campos pela primeira vez em 2009, quando ainda sonhava com um espaço na cena do rap. Suas influências diretas vieram de grandes nomes como Mano Brown, Edi Rock, Ice Blue e KL Jay, integrantes do Racionais Mc’s.

Segundo o rapper, que hoje figura ao lado de Emicida, Drik Barbosa e Evandro Fióti, ele busca repetir o exemplo de conversar e ‘falar a mesma língua’ de quem o ouve. “Tento fazer o que outros artistas fizeram comigo, que é o diálogo, uma conversa, às vezes uma ideia que sua mãe, que o professor não falar, às vezes você ouve na música”, disse Rael.

Ele citou as dificuldades que viveu, como o racismo quando menino, por exemplo, que foram superadas a partir da música. “Foi um resgate de identidade, então aquilo me tornou uma pessoa melhor. Dali pra frente comecei a acreditar mais em mim, fiquei até com autoestima demais”, lembrou.

‘Segue seu coração’

Ao final do 22º Conexão Juventude do ano, Rael da Rima deixou uma mensagem aos adolescentes e jovens que tentam se encontrar em meio à pressão atual pelo futuro. “Seguir o coração dele e não ouvir ninguém, porque foi isso que eu fiz. Você tem que seguir o seu coração, saber se é aquilo que você quer e se você tem vocação para aquilo”.


MAIS NOTÍCIAS
Secretaria de Esporte e Qualidade de Vida