Fanfarra da Fundhas realiza sonho de crianças e adolescentes
Atualizado em 27/08/2018 - 11:46
Ensaio da Fanfarra da Fundhas. Foto: Claudio Vieira/PMSJC. 01-09-2017
Crianças e adolescentes da Fanfarra da Fundhas se preparam para os desfiles de aniversário de Eugênio de Melo e do Dia da Independência - Foto: Claudio Vieira/PMSJC

Paula Pessoa
Fundhas

Cerca de 80 crianças e adolescentes, que formam o grupo da fanfarra da Unidade Jardim Paulista, da Fundhas (Fundação Hélio Augusto de Souza), se preparam para as próximas apresentações ao público que acontecem em setembro, no aniversário do distrito de Eugênio de Melo (dia 2), e no feriado da Independência do Brasil (dia 7).

A Fanfarra da Fundhas desenvolve atividades de música e dança dentro de uma filosofia educacional, garantindo oportunidades de desenvolvimento de vocações artísticas às crianças e adolescentes da instituição.

Formação musical

Participar da fanfarra pode ser a oportunidade de início para a formação de um jovem músico, uma vez que oferece o primeiro contato com uma linha melódica definida e a possibilidade de conhecer e apresentar peças contemporâneas e eruditas, além de realizar apresentações em datas comemorativas e demonstrações nas unidades.

“Temos um diferencial importante que é o fato dos alunos terem escolhido estar na fanfarra, eles aprendem a valorizar as escolhas que fazem e se comprometem com elas. Nas apresentações e visitas às unidades que fazemos, eles transmitem a outras pessoas o sentimento de pertencimento. Aprendem a ter zelo e cuidado com si mesmo e com os instrumentos, também sobre organização, e ampliam o conhecimento artístico e musical”, explica Robson de Souza Siqueira, professor de música e responsável pelo grupo desde 2016.

Além de trabalhar a musicalidade, a fanfarra permite aos estudantes a vivência e aprendizagem de valores essenciais à formação humana, como respeito, disciplina, organização, e o protagonismo entre os jovens, que representam a Fundhas em apresentações nas unidades e em eventos externos. Os membros do grupo têm aulas de música diariamente e participam de ensaios gerais todas às quartas-feiras, no período da tarde. 

“Eles chegam com uma realidade musical, nós consideramos essa realidade deles, mas também apresentamos outras e, com isto, o repertório dos alunos aumenta e o estilo musical fica mais apurado. Esta experiência faz toda a diferença ”, destaca Robson.

Nikholas Henrique da Silva Ferreira, de 15 anos, é da equipe de percussão e se diz ansioso para as apresentações do grupo no mês de setembro. “Acho importante ter nossa fanfarra só com crianças e jovens, especialmente neste evento cívico que é o desfile de 7 de setembro. Representamos a juventude do país, eu desejo que tenhamos mais paz no futuro e, música, claro”, comentou.

“Curto música desde pequeno e quando soube da fanfarra, há três anos, me interessei e comecei a participar. Por mim, continuaria para sempre, tocar aqui é bom demais, com todo esse grupo eu sinto só alegria, aprendo muito e também me divirto”, declarou Nikholas antes do início do ensaio.

Inspiração e sonhos

“Acho muito importante para a minha filha essa participação na fanfarra, ela adora e eu apoio, acho lindo. Faço questão de acompanhar em todas as apresentações, acho que contribui para o crescimento dela, está mais disciplinada e responsável e é algo que participa porque gosta”, é o depoimento orgulhoso de Elisângela Maria da Silva Lopes, mãe da Ana Vitória, do corpo coreográfico.

Além de Ana, Elisângela tem mais três filhos, todos foram atendidos pela Fundhas. “Ela gosta tanto que pediu para ser transferida de unidade para poder se dedicar mais à fanfarra. A Fundhas é muito boa e só ajudou os meus filhos, a mais velha conseguiu estágio e emprego graças a Fundhas e ao Cephas, sou muito agradecida por eles terem essa oportunidade”, frisou.

A jovem Anna Vitória é membro da fanfarra há cinco anos e conta que o apoio da mãe contribui para seguir participando no grupo que une algumas de suas paixões: a música e a dança. 

“A dança faz com que a gente tenha mais elasticidade, postura e disciplina também, as aulas são diferenciadas, aprendemos passos de balé e também nos apresentamos nas unidades para outras crianças e jovens. A fanfarra é muito boa para mim, sempre gostei de música e de dança, já participo há cinco anos e não consigo mais largar”, diz.

Davison Cordeiro Nascimento já participou da Fundhas, na Unidade Dom Bosco (região sul), e atualmente faz o curso técnico em Administração no Cephas e se sente acolhido pelo grupo. “A fanfarra da Fundhas representa muito para mim, foi onde comecei a tocar e eu amo música, na minha vida é tudo. Sinto muita emoção ao me apresentar para o público, cada apresentação é única, mas participar de uma data importante e tradicional como o 7 de setembro tem um grande valor, a cidade poderá ver o resultado de nossos ensaios e nosso trabalho”, conta. 

Expectativa para os desfiles

O grupo se prepara para o desfile do aniversário do Distrito de Eugênio de Melo, que acontecerá no dia 2, a partir das 9h30, na Avenida Ambrósio Molina, e também marca presença no Dia da Independência, dia 7, que será comemorado em São José com hasteamento de bandeiras na orla do Banhado, às 8h, seguido de desfile cívico-militar na Rua 15 de Novembro (centro).

“A expectativa muda a cada apresentação, esperamos melhorar e, demonstrando o trabalho da fanfarra nestes eventos da cidade, representando também a Fundhas, mais pessoas podem conhecer e vir participar conosco”, é o que deseja Anna Vitória.

A Fundação 

A Fundhas é mantida pela Prefeitura de São José dos Campos e atende gratuitamente crianças e adolescentes, de 6 a 18 anos, que participam de atividades no contraturno escolar. Atividades educacionais como música, dança, teatro, artes e uma atenção especial ao reforço escolar. Esporte e cultura também fazem parte do dia a dia dos alunos, que ainda aprendem a cuidar do meio ambiente.


MAIS NOTÍCIAS
Fundhas