3ª avaliação de densidade larvária aponta baixo risco de infestação do Aedes
Atualizado em 16/08/2018 - 15:06
Arrastão contra a dengue na zona norte
As equipes do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) visitaram 10.841 imóveis (349 quadras), de todas as regiões da cidade - Foto: Claudio Vieira/PMSJC

Nei José Sant' Anna
Secretaria de Saúde

A Avaliação de Densidade Larvária (ADL), realizada pela Prefeitura de São José dos Campos no período de 16 a 31 de julho apontou Índice Breteau (IB) de 0,1, nível de classificação baixo de infestação do mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como dengue, chikungunya e zika. O balanço foi divulgado nesta quinta-feira (16) pela Secretaria de Saúde.

Este ano, foram realizadas três pesquisas. A primeira ADL do ano, feita em janeiro, revelou um índice de 1,4, que representa estado de alerta em relação à infestação do mosquito Aedes aegypti. A segunda avaliação, em abril, já apontou um índice bem menor: 0,6, o que indica que o município apresentava um status de nível aceitável.

Os parâmetros estabelecidos pelo Ministério Saúde preconizam o índice 1,0 como limite ideal, que confere uma baixa probabilidade de risco à epidemia, uma vez que demonstra haver um controle aceitável de infestação dos vetores.

O índice larvário (Índice Breteau) corresponde ao número de imóveis em que foram encontrados recipientes com larvas do mosquito Aedes aegypti, durante a avaliação. Ou seja, nesta avaliação de julho, considerando a média de toda a cidade, para cada 100 imóveis pesquisados, 0,1 continham recipientes com larvas positivas.

As equipes do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) visitaram 10.841 imóveis (349 quadras), de todas as regiões. De 16 áreas existentes, 8 estão totalmente livres das larvas do mosquito.

Foram encontrados 6.130 criadouros, sendo que em 2.241 continham água, porém somente 20 com larvas. Houve somente 10 imóveis que apresentaram recipientes com larvas. Os criadouros mais encontrados foram pratinho, lona e lata.

Dengue

São José dos Campos vem registrando índices baixos dos casos de dengue este ano. De janeiro até esta quinta-feira (16), foram 165 casos, sendo 133 autóctones e 32 importados. Houve registro de 1 caso de zika (autóctones) e 2 de chikungunya (importados). O ano de 2017 fechou com 438 casos de dengue.


MAIS NOTÍCIAS
Secretaria de Saúde