Adolescentes da Fundhas visitam o Projeto Tamar na quinta
Atualizado em 24/04/2018 - 17:53
Fundhas Eugênio de Melo
Quarenta jovens, de 15 a 18 anos, da unidade Profissionalizante Eugênio de Melo da Fundhas foram selecionados para a visita - Foto: PMSJC

Quitéria Melo
Fundhas

Nesta quinta-feira, (26), 40 jovens de 15 a 18 anos da unidade Profissionalizante Eugênio de Melo, da Fundhas (Fundação Hélio Augusto de Souza), irão até a cidade de Ubatuba, no litoral norte, para visitar o Projeto Tamar. A visita está marcada para 11h e logo após, no período na tarde, os adolescentes poderão aproveitar a praia do Perequê Açu.

A visita ao Projeto Tamar nasceu de um projeto denominado Soletrando, criado pela professora de Língua Portuguesa, Débora Mendes, cujo objetivo é estimular o interesse e a frequência nas aulas de Português, por meio de atividades lúdicas e dinâmicas. Participarão os adolescentes que obtiveram a maior presença neste primeiro quadrimestre nas aulas de português. 

Além disso, a ideia também é de propor aos jovens novas vivências em outros espaços educativos e de lazer, possibilitar a ampliação do conhecimento do mundo, ampliar saberes, fortalecer vínculos e convivência, e possibilitar encontros que afetem positivamente no desenvolvimento e na construção de identidade dos jovens e oportunizar o acesso aos serviços que lhe são legalmente garantidos.

Sobre o Projeto Tamar  

O Projeto Tamar foi criado em 1980, pelo antigo Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Florestal (IBDF), que mais tarde ficou conhecido como, Ibama-Instituto Brasileiro de Meio Ambiente. O objetivo do Projeto é de proteger a vida marinha das tartarugas, que desde o final da década de 70 já se encontravam na lista das espécies em extinção. Aos poucos começaram a desaparecer, devido à má conduta de pescadores que matavam as fêmeas e faziam a coletas de seus ovos na praia. Hoje, é patrocinado pelo Programa Petrobras Socioambiental e reconhecido internacionalmente por ser uma das experiências de conservação marinha mais bem-sucedidas do país, servindo de exemplos para outros países. É fundamental também o papel das comunidades litorâneas onde o Projeto é presente, e da sociedade civil que no geral sempre estão colaborando, individual ou coletivamente.


MAIS NOTÍCIAS
Fundhas