Febre maculosa

Orientações à população para evitar a doença

Orientações

A  Prefeitura  de São José  dos Campos reforçou as ações de prevenção e orientação à população sobre a febre maculosa. O Parque da Cidade recebeu a aplicação  de carrapaticida em áreas de maior movimentação de pessoas: nas proximidades do Galpão Gaivota, no jardim da Casa Olivo Gomes, em pistas de caminhada e ao redor do lago, onde vivem as capivaras.

Esse trabalho é feito periodicamente pela Prefeitura, que  também utiliza galinhas-d’angola para combater a praga. A infestação de carrapatos no Parque da Cidade é um fenômeno recorrente, principalmente em períodos frios.

Além da pulverização, a Prefeitura também instalou por todo o parque banners com orientações sobre os cuidados que os frequentadores devem tomar em relação aos carrapatos.

As equipes do Centro de Controle de Zoonoses realizaram no local uma análise acarológica  nas áreas próximas ao lago. Ela vai permitir conhecer qual é a espécie de carrapato  e se há exemplares contaminados com a bactéria que causa a febre maculosa. O material  foi encaminhado para análise da Sucen (Superintendência de Controle de Endemias), que vai indicar se estão infectadas ou não.

Transmissão

A doença não é transmitida de pessoa para pessoa. A febre maculosa brasileira é adquirida pela picada do carrapato infectado com Rickettsia e a transmissão, geralmente,  ocorre quando esse carrapato  permanece ou esteve aderido ao hospedeiro por um período de 4 a 6 horas.

O hospedeiro mais comum desse carrapato é a capivara. Por isso é importante evitar o contato direto com elas. Por outro lado, não é só esse roedor que abriga o carrapato. Animais de grande porte, como cavalos, também podem representar riscos.

O  diagnóstico  e início imediato  do tratamento são essenciais  para evitar as formas mais graves da doença e até mesmo a morte. A febre maculosa tem cura.

Após a picada do carrapato, os sintomas começam a aparecer entre 2 e 14 dias (média de 7 dias).

Os  principais  sintomas são:  dor de cabeça,  dor no corpo, febre,  calafrio e pontinhos avermelhados  nas mãos e pés. Nesse caso, procure  a unidade de saúde mais próxima e avise  o médico se você frequentou parques, matas, florestas, rios, lagos e cachoeiras.

Como se prevenir

Quando  entrar em  matas ou ambientes  infestados por carrapatos

• Use  roupas claras  e com mangas compridas  para facilitar a visualização  de carrapatos.

• Use   calças  compridas,   colocando a   parte inferior   por dentro de botas, preferencialmente de cano longo e vedadas com fita adesiva de dupla face.

• Examine  o próprio  corpo a cada  três horas a fim  de evitar a presença de carrapatos. Quanto mais  rápido eles forem retirados,  menor a chance de infecção.

• Não esmague o carrapato com unhas, pois ele pode liberar bactérias e infectar partes do corpo com lesões.

• Para retirar o carrapato da pele, use uma pinça.

• Evite sentar ou deitar em gramados nas atividades de lazer, como caminhada, piquenique e pescaria.

Para mais informações consulte a cartilha