Água e esgoto

Serviços de tratamento e fornecimento de água e esgoto

O que é

Serviços prestados em São José dos Campos pela concessionária Sabesp (Companhia Municipal de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) de tratamento e fornecimento de água e coleta e tratamento de esgoto.

 

Esgotamento sanitário

Através da Sabesp, a cidade de São José dos Campos é abastecida por três sistemas de tratamento: Central, São Francisco Xavier e Produção Subterrânea, com capacidade de 2.622,8 litros por segundo.

O esgoto é processado em três sistemas: Lavapés, Pararangaba e São Francisco Xavier.

O sistema de esgotamento sanitário permite a preservação de rios e córregos.

ETEs (Estações de Tratamento de Esgoto)

São José dos Campos possui três ETEs (Estações de Tratamento de Esgoto): Lavapés, Pararangaba e São Francisco Xavier.

ETE LAVAPÉS

Localização: Avenida Olivo Gomes, 520, Santana, na zona norte 

Processo de tratamento: Lodo ativado

Vazão nominal: 4.186 m³/h

Como funciona: Contempla as bacias de esgotamentos formadas pelos Córregos Lavapés, Putins e Cambuí e atende as regiões centro, norte, oeste e sul do município. E também inclui as bacias dos córregos Vidoca, Senhorinha, Rosinha, Ressaca e Rio Comprido. O esgoto coletado nos bairros adjacentes a essas bacias é levado à ETE Lavapés, que opera pelo processo de lodos ativados com oxigênio puro. O lodo da ETE Lavapés é destinado para aterro sanitário. Início de operação em 1998

 

ETE PARARANGABA

Localização: Estrada Rio-São Paulo , 531, Eugênio de Melo, na zona leste 

Processo de tratamento: Lodo ativado

Vazão nominal: 1.454 m³/h 

Como funciona: Atende a região leste do município e inclui as bacias dos córregos Pararangaba, Alambari e Cajuru. Os esgotos gerados e coletados nessas bacias são tratados pela ETE, sendo o lodo gerado destinado para aterro sanitário. Início de operação em 2014 

 

ETE SÃO FRANCISCO XAVIER

Localização: Estrada Pedro Davi - SP 50, 1020 

Processo de tratamento: Lodo Ativado

Vazão nominal: 16  m³/h

Como funciona: A ETE opera pelo processo de lodo ativado seguido de lagoa de polimento. O lodo gerado na estação passa pelo processo de digestão aeróbia e desidratação em leitos de secagem. O lodo da ETE tem disposição final em aterro sanitário. Início de operação em 1997.

Fonte: Sabesp

 

 

ETAs (Estações de Tratamento de Água)

São José dos Campos possui duas ETAs (Estações de Tratamento de Água).

  
ETA 2 

Localização: Rua Paulo Setubal, 19, Vila Adyanna, centro 

Tipo: Convencional 

Histórico: Construída na década de 70 foi adequada e ampliada na década de 90 visando atender os paramentos de potabilidade da
legislação vigente e a demanda de consumo projetada para o município.

Capacidade: Tem capacidade nominal de 1.900 litros por segundo, tendo ainda a sua produção interrompida nos horários sazonais.

 

SÃO FRANCISCO XAVIER

Nome: ETA São Francisco Xavier

Localização: Rua Treze de Maio, n° 691  

Tipo: Estação de Tratamento de Água compacta, que é composta de filtro rápido pressurizado, sistema de cloração e fluoretação, 12 litros por segundo.

Fonte: Sabesp

Dados operacionais

ÁGUA:

Ligações: 186.990  (CIG - junho de 2018)

Economias: 262.692  (CIG - junho de 2018)

Extensão de rede: 1.723.911 metros (Sisperdas - maio de 2018)

Estações de tratamento: 2

Poços: 43 (Relação de produção - junho de 2018)

Reservatórios: 74 (Relação de produção - junho de 2018)

Capacidade de reservação: 79.673 m³ (Relação de produção - junho de 2018) 


ESGOTO:

Ligações:  175.842  (CIG - junho de 2018)

Economias: 253.774  (CIG - junho de 2018)

Extensão de redes coletoras:  896.546 metros (Tratesgo - maio de 2018 )

Estações de tratamento de esgoto: 3

Fonte: Sabesp

 

PURA

Pura é o Programa de Uso Racional da Água.

O termo de colaboração, com prazo de 12 meses, foi assinado pela Administração municipal com a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) em 4 de setembro de 2017. O município tem interesse de renovar o convênio com a estatal por mais um ano.

De setembro de 2017 a junho de 2018, os gastos com consumo de água somaram R$ 5,7 milhões, uma economia de R$ 1,9 milhão em relação ao período de 10 meses de setembro de 2016 a junho de 2017, quando não havia o Pura e as despesas chegaram a R$ 7,6 milhões.

Leia mais:

 

 

Contrato com a Sabesp

Foi renovado em 2008, com prazo de validade de 30 anos (até 2038).

Leia o contrato.

Dicas de economia de água

A água é um elemento vital para os seres humanos e seu ambiente, importante econômica e culturalmente. Porém, é finita e não há possibilidade de consumo ilimitado deste recurso natural.

Cada vez mais, a água torna-se escassa para atender as necessidades das grandes metrópoles. Isso se deve ao crescimento demográfico e à mudança na intensidade de consumo, com o acréscimo de mais equipamentos domésticos (lava-louça, jatos d'água etc) que necessitam de água para o funcionamento.

Preocupada com este quadro, a Sabesp adotou uma política de incentivo ao uso racional da água, que exige mudanças culturais para a conscientização da população - é necessário que se saiba que vivemos ciclos hidrológicos e que a água, finita, está cada vez mais rara e cara.

Assim, o PURA (Programa de Uso Racional da Água) é um programa de combate ao desperdício.  

Fonte: Sabesp

Ranking Abes

São José dos Campos foi premiada em fevereiro de 2018 como uma das 14 cidades do Brasil mais bem avaliadas, entre as com mais de 100 mil habitantes, nos indicadores de saneamento básico.

A honraria foi concedida pela Abes (Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental) e integra as ações do Ranking Abes de Universalização do Saneamento.

Para elaboração do ranking, foram avaliados cinco indicadores: abastecimento de água, coleta e tratamento de esgoto, coleta de lixo e destinação adequada de resíduos sólidos.

Dos 500 pontos possíveis, São José obteve 490,08, alcançando nota máxima (100 pontos) em coleta de lixo e destinação adequada de resíduos sólidos.

A cidade obteve ainda 99,96 em abastecimento de água, além de 96,12 em coleta de esgoto e 94 em tratamento de esgoto.

O Ranking Abes de Universalização do Saneamento é um dos mais novos instrumentos de avaliação do saneamento básico no país.

Leia mais:

 

Índices

As obras e investimentos da Sabesp nos últimos anos têm contribuído para a melhoria da qualidade de vida e do meio ambiente em São José dos Campos. Em outubro de 2016, foi inaugurada a nova ETE (Estação de Tratamento de Esgotos) Pararangaba, universalizando o saneamento básico na cidade. O sistema elevou os índices para 97% de coleta e 99% de tratamento de esgoto. 

Já o índice de água tratada é de 99% na área urbana.

Com isto, a maior cidade do Vale passou a ser considerada a melhor saneada entre os municípios com mais de 600 mil habitantes do país. De acordo com o Ranking do Saneamento 2017, do Instituto Trata Brasil, São José aparece em 3º lugar entre as 100 maiores cidades do país.

Desde 2011, a Sabesp investiu quase R$ 280 milhões em coleta e tratamento de esgoto na RMVale (Região Metropolitana do Vale do Paraíba). As obras realizadas em 10 municípios permitem que diariamente quase 182 milhões de litros de efluentes retornem tratados ao rio Paraíba do Sul e seus afluentes. 

Com isso, a estatal devolve água limpa a diversos rios e córregos que deságuam no Paraíba do Sul, rio mais importante do Vale do Paraíba e um dos mais relevantes do Brasil.

Plano Municipal de Saneamento Básico

O Plano Municipal de Saneamento Básico em vigor atualmente é de 2012.

Leia o Plano.

Está sendo elaborado um novo Plano Municipal de Saneamento Básico, em meio às discussões do novo Plano Diretor do município.

Conselho Municipal de Saneamento Básico

Foi instituído pelo Decreto Nº 13.499/09

O Conselho Municipal de Saneamento Básico (Comsab) é formado por diversos órgãos da sociedade civil organizada, além de representantes de secretarias municipais e vereadores. 

O Comsab tem como presidente/coordenador Ricardo Minoru Iida, secretário de Manutenção da Cidade.

Leia mais:

 

Informações

Atendimento 156

Ligue 156 gratuitamente