Índice de solução de homicídios em São José chega a 92%
Atualizado em 10/09/2019 - 14:11
COI - Centro de Operações Integradas. Foto: Claudio Vieira/PMSJC. 15-08-2019
As câmeras do COI contribuíram para solução de homicídios e outros crimes em São José - Foto: Claudio Vieira/PMSJC

Cláudio Souza
Secretaria de Proteção ao Cidadão

Com a implantação do programa São José Unida, o índice de solução de homicídios em São José dos Campos chegou a 92%, de acordo com o Deinter-1 (Departamento de Polícia Judiciária do Interior).

O projeto, que foi criado pela Prefeitura em 2017 e reúne todas as forças de segurança, tem como objetivo reduzir os índices de criminalidade no município.

Em 2016, ano anterior à criação do São José Unida, o índice de solução de assassinatos era, em média, de 55%, segundo a Polícia Civil.

"O São José Unida tem ajudado muito o núcleo de investigações criminais da Polícia Civil na solução de homicídios. Como exemplo, se em um mês tivermos cinco assassinatos, naquele mesmo mês quatro já são solucionados", disse o chefe dos investigadores do Deinter-1, Amaury dos Santos.

"Antes deste programa criado pela Prefeitura, tínhamos casos que levavam meses e até anos para serem resolvidos. E não é só em relação aos homicídios que avançamos. A união das forças de segurança tem contribuído também para o esclarecimento rápido e prisões dos autores de crimes como furtos e roubos de veículos", completou.

Tecnologia 

Segundo Santos, a tecnologia no combate à criminalidade tem sido fundamental para os bons resultados.

Ele destaca a importância das câmeras do COI (Centro de Operações Integradas) e dos Portais de Segurança, cujas imagens e dados são acompanhados em tempo real pelas polícias Civil e Militar.

"Antes do programa São José Unida, tínhamos que enviar ofícios à Prefeitura solicitando acesso às imagens das câmeras do COI. Atualmente, na DIG (Delegacia de Investigações Gerais) temos acesso em tempo real às imagens, o que tem feito diferença e agilizado a solução dos crimes", disse o chefe dos investigadores do Deinter-1.

"Hoje, em 95% dos casos de homicídios e furtos e roubos de veículos temos a ajuda das câmeras do COI e dos Portais de Segurança. Estas imagens e fotos ajudam não apenas na solução dos crimes. Elas também servem de provas técnicas utilizadas na instrução de inquéritos policiais."

Caso Jamile

Santos cita como exemplo o caso de grande repercussão da adolescente Jamile Fernandes, que foi brutalmente assassinada no mês passado, aos 17 anos, após participar de um fluxo do funk na comunidade Santa Cruz, na região central.

Quatro suspeitos de terem matado a adolescente estão presos à espera de julgamento.

"O carro utilizado para transportar a Jamile do centro até a zona norte, onde o corpo dela foi encontrado, foi rastreado pelas câmeras do COI e pelos Portais de Segurança, inclusive mostrando a saída do veículo de São José, indo para Jacareí", disse Santos.

"Estas imagens e fotos foram fundamentais para prendermos os suspeitos e apreendermos em Jacareí o carro utilizado no crime. Sem esta ajuda da tecnologia, a solução deste homicídio com certeza demoraria muito mais", completou.

Criminalidade em queda

O aumento do índice de solução de homicídios é mais um exemplo da eficácia do São José Unida e da importância da integração das forças de segurança.

Com o programa, desde 2017 os índices de criminalidade têm despencado ano a ano.

Nos sete primeiros meses de 2019, foram registradas as menores taxas de homicídios, roubos, assaltos e furtos somados e roubos de veículos em comparação ao mesmo período dos últimos 18 anos, considerando os dados desde o início da série histórica, em 2002.

De acordo com os dados divulgados no último dia 23 de agosto pela Secretaria de Estado da Segurança Pública, de janeiro a julho deste ano ocorreram 26 assassinatos.

Outro dado significativo é que não foram registrados latrocínios (roubos seguidos de morte) neste ano. É a primeira vez que isto acontece desde 2002. Em 2018, nos sete primeiros meses foram 5.

Nos três anos desde que o São José Unida está em ação, as taxas de homicídios dos sete primeiros meses ficaram entre as menores da história: 26 em 2019, 33 em 2018 e 30 em 2017.

Na comparação com o período de janeiro a julho de de 2018 e 2017, a redução foi significativa neste ano --queda de 21% em relação a 2018 e de 13% quanto a 2017.

Em relação a 2016, ano anterior à implantação do programa São José Unida, o decréscimo é ainda mais acentuado e expressivo, de 42%. Naquele ano, o número de homicídios foi quase o dobro --no caso, 45.

A taxa anual de homicídios por 100 mil habitantes também tem despencado vertiginosamente. Era de 10,88 em 2016. Em 2017, caiu para 6,69 e, em 2018, chegou a 5,58.

Na Região Metropolitana do Vale do Paraíba, Litoral Norte e Serra da Mantiqueira, o índice de 2018 só foi maior que o de Caraguatatuba, que foi de 5,39.

Investimentos em segurança

São José Unida

• Programa criado pela Prefeitura em 2017, reúne todas as forças de segurança com o objetivo de reduzir a criminalidade

• Sob a liderança da Administração, participam a Guarda Civil Municipal, Polícia Militar, Polícia Civil, Polícia Técnico-Científica, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Rodoviária Estadual, Polícia Federal, Polícia Ambiental, Corpo de Bombeiros e Detran-SP

• Constantemente, todas estas forças de segurança realizam Operações Integradas de 24 horas consecutivas no combate ao crime. Somente neste ano foram cinco ações conjuntas, sendo que a última ocorreu no mês passado

Monitoramento por câmeras

• Outro avanço significativo será no monitoramento, o que contribuirá ainda mais para a queda dos índices de criminalidade em São José

• A Prefeitura realizou no último dia 16 de agosto concorrência para o projeto de solução de Cidade Inteligente (SCaaS – Smart City as a Service), com 1.000 câmeras de monitoramento por toda a cidade, interligação semafórica, antenas de wi-fi com internet gratuita à população e a criação de um CSI (Centro de Segurança Integrada)

• Onze concorrentes participaram do certame. Foram oito consórcios -- que reúnem mais de 20 empresas -- além de três empresas individuais

• A documentação apresentada pelas participantes passará por análise técnica da Prefeitura. A previsão é de que os novos serviços sejam implantados no prazo máximo de 9 meses após a contratação

• O novo projeto representa um avanço no apoio à segurança pública e propiciará mais conectividade para melhorar a vida das pessoas

• As novas câmeras irão produzir imagens em full HD, sendo algumas delas com visão geral panorâmica

• Atualmente, a cidade possui 493 câmeras de vigilância, que serão substituídas pelas novas câmeras e permitirão que o sistema de monitoramento chegue aos extremos da cidade e a bairros distantes da região central

• As imagens contemplarão o serviço de inteligência que possibilitará ainda o reconhecimento facial e leitura de placas de veículos. As imagens serão salvas com data, hora e local, possibilitando registrar ocorrências em tempo real

• A ferramenta também permite detectar estacionamento ilegal e observar a concentração de pessoas dentro de um grande evento para melhor planejar a segurança de todos.

Portais de Segurança

• Entre os principais fatores para a queda nos índices de homicídios e roubos de veículos estão a implantação dos Portais de Segurança

• No primeiro semestre de 2016, a cidade possuía 80 radares. No mesmo período deste ano, são 178. Em 2016, eram 2 radares para cada 10 mil veículos. Em 2019, 4,1 equipamentos para cada 10 mil veículos, um aumento de 107%

• Os equipamentos possuem a tecnologia OCR (Reconhecimento Óptico de Caracteres, na tradução literal), que permite a identificação, por exemplo, de veículos furtados ou roubados por meio da leitura das placas, que registram cerca de 1 milhão de imagens por dia

• Os dados são acompanhados em tempo real pela Polícia Militar, Polícia Civil e a Guarda Civil Municipal, com apoio do COI (Centro de Operações Integradas), o que tem contribuído para agilizar a localização de veículos roubados e furtados e a prisão dos ladrões e assaltantes

• A escolha dos locais para a implantação dos equipamentos foi orientada pelas forças de segurança com o objetivo de reduzir os acidentes de trânsito e a criminalidade, melhorando a segurança pública, a segurança viária e a qualidade de vida dos cidadãos

Iluminação de LED

• A Prefeitura está investindo R$ 32 milhões no Projeto Iluminar, que vai atingir toda a iluminação pública urbana do município. A previsão é de substituir em torno de 56 mil luminárias por lâmpadas de LED até o final de 2020

• Apenas neste ano já foram trocadas mais de 25 mil lâmpadas. A gestão do Projeto Iluminar é realizada pela Secretaria de Manutenção da Cidade e executada pela Urbam (Urbanizadora Municipal S/A)

• Além de reduzir gastos do município com o consumo de energia, a implantação de lâmpadas de LED contribui para a segurança dos moradores em razão da melhoria da iluminação das ruas, já que são mais modernas, potentes e econômicas

Atividade Delegada

• Retornou a São José em setembro de 2017, graças a convênio firmado entre a Prefeitura e a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo através da lei 9507/17. Além do centro comercial, 40 bairros de todas as regiões já foram atendidos neste período

• A Prefeitura já investiu R$ 4,1 milhões no programa, sendo R$ 1,5 milhão apenas no primeiro semestre deste ano

• Atualmente, uma média de 40 policiais militares trabalham diariamente, em horário de folga, fardados e equipados, em operações programadas para áreas previamente definidas em plano de trabalho elaborado pela Polícia Militar em conjunto com a Prefeitura. Os patrulhamentos são realizados a pé, com viaturas e com motos

Guarda Civil Municipal

• Desde o início da atual Administração em 2017, a Guarda Civil Municipal passou por um processo acelerado de recuperação e melhoria de sua infraestrutura

• Foram incorporados 70 novos agentes neste ano, sendo que outros 30 já foram convocados e se apresentarão neste mês. A GCM tem atualmente efetivo de 328 homens e mulheres

• Também foram adquiridos novos fardamentos, armas, coletes à prova de balas, veículos, motos e tablets para melhoria do serviço prestado à população

• Vanguarda em tecnologia, São José inovou mais uma vez, já que a GCM é a primeira do Ocidente a ter veículos 100% elétricos, sendo superada no mundo apenas pela China. Em apenas um ano, o novo modelo gerou economia de R$ 850 mil aos cofres públicos

• Todos estes investimentos contribuíram para que a corporação de São José seja a melhor de São Paulo, de acordo com pesquisas recentes divulgadas pela Indsat (Indicadores de Satisfação dos Serviços Públicos)

• Os levantamentos, referentes ao segundo e ao terceiro trimestres deste ano, foram realizados nas 10 maiores cidades do Estado


MAIS NOTÍCIAS
Secretaria de Proteção ao Cidadão