Prefeitura faz campanha de alerta sobre a hanseníase no "Janeiro Roxo"
10/01/2019 - 11:35
Entrega da UBS Resolve Bosque dos Eucaliptos. Foto: Claudio Vieira/PMSJC. 26-09-2018
A abordagem dos usuários da rede será feita nas salas de espera e nos atendimentos individuais ou em grupo das unidades de saúde - Foto: Claudio Vieira/PMSJC

Nei José Sant' Anna
Secretaria de Saúde

A Prefeitura de São José dos Campos realiza, entre os dias 14 e 31 de janeiro, a campanha “Janeiro Roxo”, uma iniciativa da Organização Mundial de Saúde que estipulou o último domingo do mês de janeiro como o Dia Mundial de Luta Contra a Hanseníase. A campanha tem o objetivo de divulgar informações sobre os sinais e sintomas da doença, conhecida popularmente como lepra.

A meta é despertar a necessidade de se buscar atendimento médico precocemente, levando ao tratamento adequado, prevenindo as incapacidades permanentes e reduzindo o preconceito que existe em torno da doença.

Serão realizadas ações educativas nas salas de espera e nos atendimentos individuais ou em grupos das unidades de saúde. Também estão previstas campanhas de divulgação em pontos de grande circulação de pessoas, como Paço Municipal, Poupatempo e Rodoviária Velha, através de cartazes produzidos por alunos das escolas municipais Emanuel Antônio dos Santos, Maria Antonieta Ferreiro e Álvaro Gonçalves.

A hanseníase é uma doença causada por uma bactéria (Mycobacterium leprae), transmitida por via respiratória, que pode manifestar-se em sua fase inicial através de manchas avermelhadas, esbranquiçadas ou amarronzadas, que não apresentam sensibilidade ao calor, frio, dor ou toque.

Também pode haver sensação de formigamento em mãos e pés, placas, caroços ou inchaços e redução da força muscular. Se não houver tratamento correto, o paciente pode adquirir incapacidades permanentes.

A doença possui um período de incubação longo, entre 2 a 7 anos. O indivíduo possui o micro-organismo, mas não apresenta os sinais e sintomas, por isso é importante a identificação de casos positivos e também das pessoas com quem convive, no domicílio, locais de trabalho e escolas.

Após três dias utilizando os medicamentos o paciente deixa de transmitir a doença. O tratamento é totalmente gratuito. O Brasil registra anualmente cerca de 30.000 novos casos e é o segundo país do mundo em número de doentes, ficando atrás apenas da Índia.

Em São José dos Campos, são diagnosticados, em média, 25 novos casos por ano. Atualmente, 132 pacientes são acompanhadas pelos serviços de saúde da Prefeitura, por meio do CTP (Centro de Tratamento e Prevenção em Tisiologia, Dermatologia Sanitária e Lesões), que atende na Rua São Pedro, 55, Vila Maria.

MAIS NOTÍCIAS
Secretaria de Saúde